quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O Velho Bairro do Benfica

Historicamente, a origem do Benfica está relacionada com a expansão da cidade a partir do Centro. 
Mas só se constitui mesmo como bairro a partir da década de 1930, com o deslocamento da elite do Centro para a Jacarecanga, e para as chácaras que ali existiam.
Provavelmente pela existência de uma lagoa, até 1920 o local ainda era denominado de São João do Tauape. Só na década seguinte passa a ser usado o nome Benfica.  A Lagoa do Tauape ocupava uma área de cerca de dez hectares, com pouca profundidade, mas constituía  uma boa reserva de água doce, e dos um dos marcos delimitadores do bairro Benfica.


Lagoa do Tauape em foto aérea onde podem ser vistos o Campo do Prado e a raia de corrida de cavalos que existia no bairro. Aterrada a lagoa, hoje tem uma praça no local.

O pequeno lago ocupava uma área compreendida entre o que são hoje, as avenidas dos Expedicionários e João Pessoa.  A partir, da década de 1940, o espelho d’água foi sendo gradativamente aterrado e drenado até desaparecer completamente, restando o riacho canalizado que a alimentava.
Em 17 de novembro de 1976 foi publicada uma lei municipal batizando de Praça Jaime Pinheiro o local onde outrora estava localizada a lagoa do Tauape. Fica entre a Rua Marechal Deodoro, Rua Jorge Dummar e a Avenida Eduardo Girão. 
  
Família do banqueiro José Gentil
Família Gentil em 1953, na casa onde hoje está a reitoria da UFC

O Benfica foi o mais aristocrático bairro de Fortaleza no período compreendido entre o final do Século XIX até final dos anos 1940, inicio de 1950.  Começou a ser formado quando famílias de alto poder aquisitivo começaram a abandonar o centro e se instalaram na área.
Logo surgiram os sobrados, bangalôs, casas recuadas com jardins, pomares, quintais, (algumas com piscinas) que serviam de residência a moradores ilustres. No entorno das residências, havia um imponente arvoredo, em que se destacavam mangueiras e cajueiros, imensos e centenários. 
A área verde era tão grande que a Avenida 13 de Maio (antiga Flor do Prado), era originalmente uma via estreita. No sentido para a Avenida Pontes Vieira, a pista direita não existia como corredor de transporte era parte do jardim das chácaras.
A parte do bairro denominada Gentilândia surgiu nos últimos anos do século XIX, quando José Gentil  adquiriu de João Antonio Garcia a área onde é atualmente a Reitoria da UFC. 
A Chácara Garcia passava a ser Chácara Gentil e, remodelada em 1918, perdeu as feições rurais para virar palacete.
O rico morador  dono do Banco Frota e Gentil, no Centro de Fortaleza, construiu uma cidade dentro do bairro em formação.  A maior parte da Chácara Gentil foi desmembrada durante a vida de seu proprietário,  para compor os quarteirões, as ruas e as praças do pequeno bairro da Gentilândia, implantado na década de 1930.
Da área construída parte foi reservada para residência da família Gentil e o restante foi alugado para famílias de classe média. 

O Colégio Santa Cecilia funcionou na Avenida Visconde de Cauípe de 1928 a 1955, quando o imóvel foi vendido para a Ordem das Damas da Instrução. Em 1959 foi desapropriado e vendido a UFC. No lugar funciona atualmente o Museu de Arte da UFC
Residência de João Gentil, onde funcionou depois o Ginásio Americano. Adquirido pela UFC em 1958, foi demolido e no lugar construíram o prédio onde hoje funciona o Curso de Ciências Sociais. 
 primeira residência de João Gentil, na Avenida Visconde de Cauípe, atual Avenida da Universidade

Em 1956, quando as famílias mais ricas já estavam se mudando para a zona leste da cidade, e os imóveis estavam sendo colocados à venda, o palacete da família Gentil foi adquirido pela Universidade Federal do Ceará, que havia sido criada em dezembro de 1954, e estava se instalando em Fortaleza. Depois da aquisição do casarão dos Gentis, a Universidade comprou vários outros imóveis ao longo da principal avenida. 
No entanto, a característica do Benfica como espaço da educação é anterior à instalação da Universidade. Muitos prédios hoje pertencentes à UFC abrigaram escolas que ainda fazem nome na cidade. 
O Colégio Santa Cecília, hoje na Aldeota, ocupava, até 1955, o espaço onde ficam o Departamento de Arquitetura e Urbanismo e o Museu de Arte da UFC. 
Diante da Igreja de Nossa Senhora dos Remédios havia o Colégio Nossa Senhora das Graças, depois Ginásio Americano, que funcionaram no palacete pertencente a João Gentil, filho de José Gentil, na área onde estão as Ciências Sociais e Filosofia.


 Criador da UFC o Professor Martins Filho comanda as obras de construção da Concha Acústica em 1959

Noutro prédio adquirido pela UFC num contrato de permuta com o Governo do Estado funcionava o tradicional Grupo Escolar do Benfica, depois Grupo Escolar Rodolfo Teófilo. Era onde hoje está a Faculdade de Economia.
Dali, o grupo escolar foi para o espaço do Clube dos Estudantes Universitários (CEU) da UFC, hoje Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) Professor Neudson Braga, que fica em frente ao Shopping Benfica.


O Girador do cruzamento das Avenidas da Universidade e Treze de Maio foi substituto por semáforos em 1974. A fonte das sereias que enfeitava o local foi desmontada e guardada no depósito da então SUMOV (Superintendência Municipal de Obras e Viação). 
Em 1982 foi restaurada e colocada na Praça Murilo Borges (Praça do BNB), no centro de Fortaleza.


A chegada da Universidade ao Benfica em 1956, repercutiu sobre o espaço físico natural e construído do bairro. Muitos imóveis de belíssimas arquiteturas que poderiam ter sido preservados, não o foram, e muitas árvores foram abatidas, inclusive para  construção da Concha Acústica, inaugurada em 1959.
Durante muito tempo, o lazer no Benfica tinha como endereço clubes sociais e esportivos tradicionais, como o Maguary, que ficava na Rua Barão do Rio Branco, o Clube Gentil, localizado no primeiro quarteirão depois da Praça da Gentilândia, e o General Sampaio, nas proximidades do Conservatório de Música Alberto Nepomuceno. 
Além do Clube dos Estudantes Universitários (CEU), que realizava também suas tertúlias, o bairro já teve ainda, por cerca de duas décadas, o Cine Benfica, em frente ao Dispensário dos Pobres do Sagrado Coração, na hoje Avenida da Universidade.

Pesquisa:
Fotos: Arquivo NIREZ
Revista Universidade Pública ano 8 n° 45 – Set/Out 2008.
Cronologia Ilustrada de Fortaleza, de Miguel Ângelo de Azevedo (NIREZ)

21 comentários:

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Essa história faz parte da minha história: tomei muitos banhos na Lagoa do Tauape, que ficava bem próximo ao sítio de minha tia Luizinha, no final da rua da Cachorra Magra, hoje Marechal Deodoro. Vi a inauguração da Concha Acústica, frquentei as tertúlias do Ceu e do General Sampaio.....êta tempo bom, nesse gostoso Benfica!

Amei essa postagem!
Beijo, Fátima!

Fátima Garcia disse...

Apesar de todas as referências e indicações da localização, eu não sei ao certo onde era a lagoa do tauape. Tenho uma suspeita que seja naquele largo que tem um galpão que parece abandonado, em frente a um condominio, no inicio da Mal.deodoro.Mesmo com as referencias do texto, não tenho certeza.
bjs

Lúcia Paiva disse...

A lagoa era alí mesmo, Fátima, em frente a EMLURB.Daquele condomínio até o PV era o sítio. Ainda resta um pedaço do sítio do lado da Expedicionário, que ainda é da família, mas já está à venda e, logo logo, surgirá mais um condomínio.....
Beijos!

Fátima Garcia disse...

É verdade Lúcia, e de resto a constatação de que mais uma vez a cidade saiu perdendo, o aterramento dos espelhos d"água representam danos ambientais irrecuperáveis. É o preço do "progresso".
bjs

Lucilene disse...

Nasci no benfica,lá passei minha infancia, adolescencia.td de bom na minha vida aconteceu no benfica...que saudades das festas do general sampaio,dos eventos da concha acústicas, das tertulias,das missas na igreja dos remedios, dos encontros ali na reitoria,enfim...tempo bom demais!!!!amei a postagem!!!bjos

CristianoSantossapesloo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kaka disse...

Sra Fátima, bom dia...


Estou fazendo minha monografia com o meu tema sendo o Patrimônio Arquitetônico do Benfica, porém não estou encontrando literatura sobre a localidade, olhando o seu blog, percebi que o mesmo é bastante rico em informações e fotografias, assim gostaria de saber se a senhora poderia me ajudar com a literatura para meu trabalho. Se possível me informar as fontes das informações do seu blog e onde posso colhe-las.


Desde já Grata.

Fátima Garcia disse...

Oi Karla,
vou lhe enviar por email

Antonio Luiz disse...

A senhora poderia me enviar as fotos que aparecem da Familia Gentil de 1953, pois minha mãe encontra-se nesta foto.

Antonio Luiz disse...

Meu e-mail e: mirfilho@ig.com.br

Fico grato.

Gottardo Carvalho disse...

Oi fátima Garcia, sou estudante de arquitetura da Fanor e estou elaborando um trabalho sobre o Bairro Benfica. Achei no Blog da senhora muitas imformações importantes e queria ter o direito de incluir no conteúdo do meu trabalho. meu e-mail: carvalho.gottardo@hotmail.com
Grato desde de já

Fátima Garcia disse...

Olá Antonio Luiz,
enviei as fotos para seu email.

Fátima Garcia disse...

Olá Gottardo
pode usar as informações que quiser, se precisar de algum material, posso enviar tb. Por email, estou lhe enviando o link de uma revista da UFC que tem um material sobre o Benfica.

Anônimo disse...

Oi Fátima,
Meu nome é Luiz Gentil e sou tataraneto do José Gentil. Queria saber se poderia me enviar por e-mail as fotos antigas da minha família que você possui, em especial a do casarão antigo da reitoria? luizgentil@yahoo.com
Obrigado

Fátima Garcia disse...

Oi Luiz,
mandei as fotos p/seu email
abs

Anônimo disse...

fatima e curioso para mim saber que esta propriedade foi vendida a um gentil por um garcia..rsrs
eu sou garcia meu futuro marido e gentil....adorava poder falar com vcpor skype,email ou mesmo algum chat
adoro genealogia,historias de palacios,casaroes antigos e coisa do genero,,,grande abraço

amelinhajf@live.com.pt

isabella garcia disse...

e parabens pelo vosso blog..adorei tudo

Fátima Garcia disse...

Olá Isabela,
ou é mesmo muita coincidência, ou então é possivel voces tenham algum parentesco com esses personagens da história da cidade. Não uso muito esses sistemas de bate-papo, mas uso bastante o facebook, podemos fazer contato lá. O meu endereço é
http://www.facebook.com/fatima.garcia.391
obrigada por visitar o blog
abs

Cida Oliveira disse...

Nasci e me criei na Gentilândia. Meu irmão mais velho escreveu, em forma de crõnicas, histórias do bairro nos anos 50 e pediu-me para digitar e revisar seus textos os quais ele batizou de Memórias de um Gentilandino. Resolvi ir postando num blog meu ( educ ativa mente.blogspot.com.br) e procurando ilustrações para os textos dele, fui surpreendida por seu blog cheio de informações e ilustrações interessantes sobre o mesmo assunto. Se quiser visitar o meu blog, seja benvinda. Parabéns pelo excelente trabalho e obrigada pela ajuda.
Cida Oliveira

Fátima Garcia disse...

obrigada pela visita Cida Oliveira, vou visitar seu blog. abs

JoãoDamasceno disse...

A lagoa, que não era nada pequena, ficava de onde hoje é a COBAL, até a rua Antônio Rodrigues já no Jardim América. Foi parcialmente aterrada e o restante do que sobrou foi drenado pelo alagamento do canal. Por exemplo, a rua Marechal Deodoro não atravessava para o lado do Jardim América, pois havia a lagoa...!! P.S gostaria que alguém pegasse a foto da visão aérea da lagoa e apontasse ao menos algumas ruas para podermos identificar melhor o que é mostrado na foto. Eu, por exemplo, não consegui compreender a disposição do campo do Prado com a lagoa (achei muito perto e não era tão perto assim). Muito obrigado.