quinta-feira, 11 de maio de 2017

Colégios Desativados de Fortaleza


Os excelentes resultados obtidos pelos colégios particulares de Fortaleza em olimpíadas de ciências exatas e os altos índices de aprovação em vestibulares difíceis, como o do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), um dos mais concorridos do País, impressionam. Os números colocam o ensino privado da capital cearense entre os melhores do País. O talento para aprovar, contudo, é bem menor do que o talento para administrar.


 Só nos últimos dez anos, nada menos de 2262 escolas de ensino básico foram à falência no Ceará - uma média de mais de 200 por ano. Em Fortaleza está a maior parte desses estabelecimentos: 1318. Essas empresas sucumbiram diante da concorrência acirrada, do alto índice de inadimplência e da alta carga tributária, mas, principalmente, pela falta de habilidade para gerir seus negócios. Alguns deles: 

Colégio Evolutivo 


Surgiu em 1980 com o nome de Colégio Positivo, e passou a ser Colégio Evolutivo, em 1992. Chegou a ter nove sedes em Fortaleza e 15 mil alunos no mesmo ano. Após 32 anos de serviços prestados à comunidade, o Colégio Evolutivo chegou a representar um dos maiores grupos educacionais do Estado, se destacando no cenário local pela ampla oferta de bolsas e preços mais acessíveis que os praticados pelo mercado da época. A instituição fechou as portas em 2012, alegando dificuldades financeiras. Os prédios que abrigaram os colégios tiveram destinos diferentes. Alguns foram transformados em outros estabelecimentos comerciais, e outros, como a sede da Parangaba, agora abriga uma faculdade. 

Colégio GEO 


Com sedes espalhadas por mais de cinco bairros da Capital, além de cidades do interior do Ceará e de outros estados, a rede GEO foi referência na educação privada do Estado, de 1979  até o início dos anos 2000. As escolas com estrutura de clube e com oferta de diversas atividade extracurriculares atraíram mais de 5 mil matrículas, em balanço parcial. Após o fechamento, também motivado por questões administrativas, as unidades foram vendidas e transformadas em outras escolas. A sede Dunas, uma das maiores da rede, foi transformada em Faculdade. 

Colégio Agapito dos Santos 


Estava localizado na Avenida Tristão Gonçalves, 1409, propriedade dos professores Mozart Sobreira Bezerra, Lauro de Oliveira Lima e Ivan Vieira Ramos.  Foi oficialmente extinto em fevereiro de 2006. De acordo com documento oficial do Conselho de Educação do Ceará, a escola era de “grande tradição” no Ceará, dirigida por Lauro de Oliveira Lima. 

Colégio Cearense


O Colégio Marista Cearense Sagrado Coração foi fundado no dia 4 de janeiro de 1913. Funcionou inicialmente na Rua da Amélia n° 146 (atual Rua Senador Pompeu), Rua 24 de Maio e na Praça José de Alencar, onde depois esteve a Rádio Iracema. Mais tarde mudou-se para a Rua Barão do Rio Branco, no local onde hoje está o edifício Diogo. Por fim, em 1917, foi para o prédio próprio na Avenida Duque de Caxias. A partir de 1916 a administração do Colégio Cearense passou para os Irmãos Maristas. Na década de 80, os estabelecimentos de ensino, dirigidos por religiosos, viveram seus melhores dias, com grande procura por vagas, em razão da excelência do ensino que ofereciam.  O Colégio Marista Cearense ficou pequeno para comportar tantos alunos, eram 4.500, divididos em três turnos. A partir dos anos 2000, tudo mudou:  o aumento da inadimplência, a redução de matrículas, o surgimento de grandes conglomerados educacionais, que tornaram a educação um ramo de negócio altamente rentável, determinaram o fechamento de outros colégios religiosos e comprometeu o futuro do Colégio Cearense, que encerrou suas atividades no dia 31 de dezembro de 2007. 

Ginásio Capistrano de Abreu/Colégio Zênite 


Localizado na Rua Luís de Miranda, no Benfica. Consta que o prédio onde funcionou o antigo ginásio, era uma propriedade rural denominada Sitio Barro Preto, propriedade do Coronel Antônio Felinto Barroso, pai do escritor Gustavo Barroso. O escritor vinha de sua residência urbana, na Rua Formosa, de bonde de burro, descia na Fundição Cearense e caminhava até essa casa de campo, rústica, em terreno arborizado, de onde saía a passear montado no seu cavalo predileto, exibindo-se pelo centro da cidade e indo até a praia. O Colégio Capistrano de Abreu foi criado em outubro de 1966 e posteriormente, passou a chamar-se Colégio Zênite. Com única sede, situada no bairro Benfica, o colégio Zênite encerrou as atividades em 2012.  O prédio, que foi vendido para outro grupo escolar, faz parte da história do bairro universitário. 

Colégio Tony 

Surgiu nos anos 70, como um cursinho de matemática preparatório para vestibulares, cujas aulas eram ministradas pelo próprio professor Tony.  A Rede de Ensino Tony, também ficou conhecida em razão desses cursos preparatórios para vestibular e concursos, teve grande destaque no mercado local até a primeira metade dos anos 2000. Com sedes em vários bairros, a instituição foi responsável pela formação de mais de 5 mil alunos por ano. 

Colégio Júlia Jorge 


O colégio foi inaugurado no dia 24 de junho de 1966, com a presença do presidente da República, do Governador do Estado, e outras autoridades. Foi instalado na esquina das ruas General Piragibe com a Azevedo Bolão. Estabelecimento de ensino da rede cenecista, o Júlia Jorge foi a grande opção de escola de boa qualidade para moradores dos bairros da Parquelândia, Parque Araxá, Monte Castelo e vizinhanças.  Em 2007, fechou, encerrou as atividades, segundo dizem, por falta de alunos. Depois, o prédio foi vendido a uma imobiliária, e logo começou a ser demolido. No local, foram construídos vários edifícios residenciais. O mesmo destino teve o Colégio João Pontes, também da rede cenecista, localizado no bairro do Jacarecanga, à rua Antônio Bandeira, n° 50. 

Colégio Redentorista


Localizado no bairro Rodolfo Teófilo, a instituição foi administrada por padres da Congregação do Santíssimo Redentor, mais conhecidos como redentoristas. Com o fechamento do colégio, o prédio abrigou outra instituição escolar. O prédio onde funcionou o colégio foi erguido em 1963, na rua Delmiro de Farias, 900, no bairro Rodolfo Teófilo, por missionários redentoristas para abrigar, a princípio, confrades em Fortaleza. Em carta enviada ao Provincial, o Padre Jaime detalhava a casa a ser construída: “Devido ao clima daqui, é necessário ter chuveiros nos quartos. Os corredores dos dois lados dos quartos também são necessários por causa do clima. Em algumas partes do mosteiro, haverá combogó”. O Colégio Redentorista foi fundado em 1966 e funcionou até 1999. 

Colégio das Doroteias 


Em 1915, o Colégio N. S. do Sagrado Coração – das Irmãs Doroteias – instalou-se em edifício próprio na Avenida Visconde do Rio Branco, com grande prestigio na cidade. A criação deveu-se a recomendação de D. Manuel da Silva Gomes, o terceiro bispo do Ceará e o primeiro arcebispo metropolitano de Fortaleza. Sua direção foi entregue às Irmãs da Congregação de Santa Doroteias, e construído de acordo com quatro referenciais importantes, nesse momento, para a educação da elite feminina do Ceará: os ideais católicos; os pressupostos patrióticos baseados na República recém instaurada; preparação para o casamento, à família e o lar e, por fim, a criação de um ambiente condizente com o bem-estar saudável e civilizador oferecido pela arquitetura monumental do prédio que se estabelecera. 

Colégio General Osório


Quando foi fundado em 1970, era o Curso General Osório, um preparatório para exame de admissão ao Colégio Militar. Seu diretor, Major Asthon, animado com os resultados alcançados pelos seus alunos, decidiu fundar o colégio. Em maio de 1971 iniciou as quatro primeiras séries, e gradativamente, foi implantando novas turmas, até ser transformado em escola de 1° e 2°graus. Ficava na Avenida Santos Dumont. 

Colégio São João


O Colégio São João surgiu em 1930, sob direção do professor César Adolpho Campello, e patrocínio de seu cunhado João da Frota Gentil e instalou-se na antiga Villa Adolpho Quixadá, na Avenida Santos Dumont. O imóvel foi construído por Adolfo Quixadá e foi utilizada como residência dos presidentes de Estado. Em 1976 o colégio foi vendido para a Organização Farias Brito. 

Colégio Stella Maris


 foto de Erikson Salomoni 

O Colégio Stella Maris, foi fundado em 1952, uma cinquentenária instituição educacional, responsável pela educação de milhares de membros da elite da sociedade cearense. Com o encerramento de suas atividades, o respeitado Colégio fechou sua sede, localizada à Rua Antônio Justa. O prédio foi demolido. 

Colégio Salesiano Dom Lustosa 

A escola da rede salesiana, localizada na Avenida João Pessoa, foi declarara extinta em 07 de junho de 2013. O prédio que abrigava a instituição foi vendido ao SESC/Ceará. 

Colégio Santa Maria Goretti 

O Colégio Santa Maria Goreti, instituição ligada às irmãs de caridade da ordem das Vicentinas,  foi construído na Avenida do Imperador, com entrada pela Avenida Domingos Olímpio, em terreno doado pelo bispo Dom Manuel da Silva Gomes. Fazia parte da mesma entidade mantenedora do Patronato Nossa Senhora Auxiliadora (também extinto) e a Escola Doméstica São Rafael, atual Colégio São Rafael. O Santa Maria Goretti encerrou as atividades em 2004.

fontes: Jornal O Povo, Verdinha, Diário do Nordeste, IG-Último Segundo, Wikipédia 
fotos Anuário do Ceará,O Povo, Verdinha, Portal IG

42 comentários:

Airton Soares disse...

Faltou aí os Colégios Rui Barbosa, que ficava na Av. Imperador, e o Colégio Rio Branco, que ficava na Rua Padre Mororó, ambos no centro. Se possível for, busquem informações sobre estas escolas. Obrigado. Bela matéria, parabens.

Anônimo disse...

E também o colégio Castelo Branco na Dom Manuel

Anônimo disse...

Que saudade do Colégio General Osório. Entrei lá em 71 com 9 anos e fiquei até 79.

Anônimo disse...

Faltou também o colégio Oliveira Paiva e o anglo.

cecilia lima moraes disse...

Parabéns pel matéria.

Anônimo disse...

Colégio nossa senhora da Assunção, com sede na padre Valdivino ;)

Alex Silva disse...

Estudei no colégio Agapito dos santos, terminei meu ensino fundamental lá.

Guilherme Rabelo disse...

favor incluir o Colegio Castelo Branco da av. Dom Manuel, um dos mais antigos da cidade que iniciou suas atividades em 1900 e findando no ano de 2002 como "cooperativa dos professores do colégio castelo branco" - coopecab.

Anônimo disse...

Tenho muita saudade do General Osório, estudei vários anos lá. Lembro com muito carinho das professoras do primário, dos antigos colegas e também de vários funcionários da escola. O Major Asthom não era apenas um diretor, mas um referencial para muitos dos jovens que passaram por lá.

Ivo Brito disse...

Colégio Rosa Gatorno, colégio Oliveira Paiva, Colégio Nossa Senhora de Lourdes, colégio Rui Barbosa, colégio Fênix Caxeiral, colégio Anglo, colégio Positivo e colégio Capital, tudo ali na região central!

Jansenio Brito disse...

Parabéns pela matéria excelente. E o colégio Joaquim Nogueira, ainda existe? O colégio Capital, Justiniano de Serpa, Rosa Gatorno... ....

Fábio de Oliveira Matos disse...

Parabéns pela matéria. Sugiro que vocês revejam as informações sobre o Colégio Evolutivo. Esse nome só foi atribuído à escola no final dos anos 1990. Além disso, o antigo colégio Positivo ainda teve o nome Positivest/PhD.

Anônimo disse...

Faltou o anchieta, na parangaba

Anônimo disse...

Faltou tb o Ginásio Pio XII

Renato Silva disse...

Isso, Anchieta, Parangaba. Enorme infraestrutura, que foi sendo sucateada, embora tenha estudado lá não conheço a história do Colégio Anchieta, que pela estrutura deve ser grande.

Anônimo disse...

Realmente faltou o Colégio Rui Barbosa...na Imperador, perto da Praça da Lagoinha...depois foi adquirido pelo grupo dono do Colégio Capital...estudei lá de 82 a 87...quanta saudade!!!

Anônimo disse...

Faltou o Colégio Nossa Senhora da Assunção, Colégio Pedro Nunes

Vilma Severo disse...

faltou o Colégio Nossa Senhora das graças no centro ao lado do Imaculada
Eu estudei lá.Da um aperto no coração.

Anônimo disse...

Com certeza. Estudei nos dois. Mas ainda faltou tb o colégio padre Anchieta e o fênix caixeral. Ambos no centro

palairton disse...

Então fecharam todos, já que estão faltando vários.

palairton disse...

O Castelo Branco fechou. Dos padres Joselito e Jonas?

Anônimo disse...

Faltou o Ginásio Anchieta da Parangaba e o Anexo da Oliveira Paiva.
Saudades...

Anônimo disse...

Ainda existe o Joaquim Nogueira,inclusive hoje é uma escola profissionalizante

Anônimo disse...

Faltou colégio nossa senhora da Assunção, da rua padre Valdevino.

Adriana Góes disse...

Estudei no Oliveira Paiva em 1994

Virginia Barroso disse...

Queria algo sobre o Colégio Padre Champagnat, ele tinha 3 sedes, Montese, Centro e Otávio Bomfim. Estudei todo primeiro grau na sede do Montese! Foram anos maravilhosos!

Virginia Barroso disse...

Queria algo sobre o Colégio Padre Champagnat, ele tinha 3 sedes, Montese, Centro e Otávio Bomfim. Estudei todo primeiro grau na sede do Montese! Foram anos maravilhosos!

Sérgio Sousa disse...

Ainda está em atividades os Colégios Juvenal de Carvalho no Jardim América?

Unknown disse...

Faltou o Colégio Cabral na Av. João Pessoa no bairro Damas.

Almir Viana disse...

O Centro Educacional João Pontes ficava na rua: Jaime Benevolo, 212

Anônimo disse...

Faltou o Colegio Pio X na Rua Barão de Aratanha Centro

Luciana Soares disse...

Faltou o colegio padre champagnat era um colégio muito bom estudei da 7° ao 1°ano do ensino médio

Fátima Garcia disse...

Anotei todos os nomes de colégios sugeridos e vou fazer nova pesquisa, agora com estes. Agradeço demais as sugestões.

Fátima Garcia disse...

Jansenio Brito, os Colégios Joaquim Nogueira e Justiniano de Serpa ainda funcionam, os outros dois não mais

Fátima Garcia disse...

Sergio Sousa, o Juvenal de Carvalho se encontra em plena atividade

Rejane Muniz disse...

Depois do anchieta no mesmo prédio veio o Evolutivo

Carla Milene Correia Máximo disse...

Faltou o Colégio São José que ficava na Av. Visconde do Rio Branco do lado do Praça da Criança

Ronaldo Pimenta disse...

Faltou o Colégio Integral...que tinha como proprietário o ex-deputado federal Prof. Moraes.

Anônimo disse...

Faltou o colegio Educandario Casimiro de Abreu, do Bairro Barra do Ceara. Excelente colegio de ensino fundamental. Estudei la da primeira a oitava serie.

Larisse Oliveira disse...

Que legal! Amei demais essas fotos.
http://www.filhadoreioficial.com.br

rafaelcaneca disse...

Oi! Que matéria bacana, um clima de saudosismo me invadiu... Mas ficou faltando um colégio pelo qual tenho enorme carinho: o Colégio Cooperativo de Fortaleza - COOPEFOR, dos funcionários do Banco do Nordeste (BNB). Estudei lá do ano de sua fundação (1993 - 2ª série) até 1997 (6ª série); em 1998 parti para outra escola, e anos após (não lembro se 1999, 2000 ou 2001) o COOPEFOR foi extinto. Abraço!

Anônimo disse...

Oi gostaria de saber a respeito do Colégio Virgem do Socorro que ficava ao lado do cemitério da Parangaba. Estudei lá quando tinha 06 anos. Lembro com muita saudade.