domingo, 31 de outubro de 2010

Praça José de Alencar

Praça Marquês de Herval na primeira década dos anos 1900 (Arquivo NIREZ) 

A praça já se chamou Marquês de Herval e era o orgulho da administração do oligarca Nogueira Accioly e do Intendente Guilherme Rocha. Naquela época existia uma grande área plantada, com jardins floridos, bancos, jarros, estátuas e um catavento que alimentava a caixa d’água. 
Em 1912 tudo foi destruído pela população, na revolta urbana que culminou com a deposição de Nogueira Accioly.

Praça nos anos 1970


Em maio de 1929, por iniciativa do jornalista Gilberto Câmara, foi colocada uma estátua de José de Alencar no centro da praça, e anos depois a antiga Praça Marquês de Herval passou a ser chamada de José de Alencar.
Durante anos a Praça Jose de Alencar foi o ponto final dos ônibus que iam para o centro.
praça hoje

Não se sabe ao certo quando começou a ocupação pelo comércio ambulante, o fato é que esse tipo de atividade cresce dia a dia e ocupa praticamente todos os espaços da outrora bela Praça José de Alencar.
 A interminável obra do Metrofor contribui para o desconforto e o caos na área.


A permissividade da prefeitura é ilimitada, não há nenhuma providência em andamento que objetive devolver o logradouro à população, não há fiscalização, não há restrições, não há regras a serem cumpridas: a omissão é total e absoluta.
Enquanto a prefeitura faz vista grossa e o batalhão de burocratas que lotados nas chamadas regionais morgam em suas salas de ar condicionado, o mercado persa está instalado na Praça José de Alencar, onde tudo se vende: lanches, confecções, panelas, livros e sapatos. Tem até pregadores – dentro daquele inferno – prometendo o reino dos céus aos seus seguidores; tem shows com animais, pedintes, marreteiros, descuidistas, cães e gatos abandonados

O piso está danificado em vários pontos, e onde antes havia grama agora é só areia.
O trânsito confuso, a dificuldade de locomoção, a sujeira, as pichações, a poeira, tudo denuncia o estado de abandono da Praça José de Alencar.

Fortaleza Bela na concepção da prefeitura municipal.
Imagina-se o que seria uma Fortaleza feia.


Onde está o Plano Diretor Participativo de Fortaleza que não é aplicado? Onde está a Agenda 21 Fortaleza, lançada em 2005, com a presença de Leonardo Boff, com tanta pompa e circunstância?  Onde está o Código de Obras e Posturas de Fortaleza?

Um comentário:

Graça disse...

Sempre que passo pela praça José de Alencar,fico indignada com a omissão das autoridades em permitir a ocupação das praças e calçadas pelos camelôs,a ponto de o pedestre ser obrigado a disputar os espaços com os carros.Isso sem falar no mal cheiro e na sujeira que fica no final do dia.Já conheci Fortaleza mais bela e mais cuidada quando tínhamos prefeito de verdade .