sábado, 23 de outubro de 2010

A Praça dos Coelhos (Praça José Bonifácio)

herma do Capitão J. da Penha na Praça José Bonifácio
Nos idos de 1916, onde é hoje a Praça José Bonifácio, era a antiga Praça dos Coelhos. Completamente coberta de areia e cheia de árvores frondosas, diziam que tinha esse nome porque muitos coelhos eram encontrados escondidos nas moitas. Outros asseguravam que o nome provinha de uma antiga familia muito numerosa, bastante conhecida, que ali residira.
O matagal era um verdadeiro ninho de cobras, lagartos e escorpiões que representavam sério perigopara todos, especialmente para as crianças que usavam o espaço para brincar de esconder.
No centro da praça havia uma enorme cacimba, onde a população vinha buscar água. Ao redor as mulheres lavavam roupa e os homens carregavam as pipas das carroças para levar a água que seria vendida nos bairros distantes.
No lado norte, apoiado numa pilastra de pedra e cal, rodeado de grades de ferro, havia um velho catavento que rodava o dia inteiro, puxando água do cacimbão através de um enferrujado encanamento. Uma grande torneira, suspensa a cerca de um metro de altura do chão, jorrava, e era ali que todos enchiam seus vasilhames: camburões, alguidares, ancoretas e panelas.
Ao lado sul, onde hoje existe o Quartel da Policia Militar, confrontando com a esquina da Rua Boa Vista (atual Floriano Peixoto), havia uma casa de bilhares, com uma calçada bem alta, onde todas as noites vários cantores se reuniam e varavam as madrugadas ao som de violões e valsas de Ernesto Nazaré.

fachada do Quartel da Policia Militar na Praça José Bonifácio em 1955
 
Em 1931 limparam a praça, arrancaram as árvores, espantaram os coelhos, as cobras e os lagartos, aplainaram o terreno e construiram o Quartel da Policia, que veio transferido da Praça José de Alencar.
A praça que fica à frente ao quartel, foi feita depois, com bancos, passeios e cisterna no centro. Ali inauguraram o busto do Capitão Jota da Penha, morto em combate, na revolução que depôs o Coronel Franco Rabelo, em 1914.
Mais tarde o logradouro passou a ser chamado de Praça José Bonifácio

Fonte:
AZEVEDO, Otacilio de. Fortaleza Descalça; reminiscências. Fortaleza: Edições UFC/PMF, 1980

Nenhum comentário: