terça-feira, 17 de abril de 2012

A Questão do Limite Fortaleza – Maracanaú


 Década de 60 - vista aérea do centro, com a Catedral em construção (arquivo Nirez)

Em 1960, Fortaleza contava com 507.108 habitantes, e era dividida em Cidade Leste e Cidade Oeste, separadas pela rua-eixo constituída da sequência das seguintes avenidas e ruas: Avenida Alberto Nepomuceno, Rua Conde D’Eu, Rua Sena Madureira,  Avenida Visconde do Rio Branco e estrada federal BR-13. 
A partir dessa rua eixo, no sentido Leste, os logradouros tinham uma denominação e uma numeração, e no sentido Oeste, outra denominação e outra numeração.   
Os limites do município eram muito bem definidos:
ao Norte com o Oceano Atlântico, da Barra do Rio Ceará à Ponta do Mucuripe;
A Leste, com o mesmo Oceano, da Ponta do Mucuripe à barra do Rio Pacoti, e com o município de Aquiraz, a começar da barra, seguindo pelo mesmo rio Pacoti até sua confluência com o rio Gamboa da Cunhã. Desta confluência, em linha reta, até a parte mais norte da Lagoa da Precabura, seguindo por meio desta até sua parte mais sul, na foz do rio Coaçu e daí, por este rio acima, até a foz do seu afluente Carro Quebrado. Por este até a ponte situada no seu cruzamento com a estrada federal BR-13. 

 Lagoa da Precabura, entre Fortaleza e Eusébio (foto Viva Fortaleza)

Ao Sul, com os municípios de Pacatuba e Maranguape, por uma linha reta que, partindo da referida ponte na BR-13 vá atingir o serrote Ancuri. Deste, por outra linha reta até a foz do riacho Timbó ou Jereraú, no Rio Cocó, e daí, por uma linha reta, ao sangradouro da Lagoa do Mingau. Deste ponto, também em linha reta, à confluência do desaguadouro da Lagoa Jari com o rio Maranguapinho, seguindo outra linha reta até o cruzamento da chamada Estrada da Ribeira com o rio Urucutuba.

 O sangradouro da Lagoa do Mingau era um dos limites Sul de Fortaleza. Hoje a lagoa está localizada no conjunto industrial de Maracanaú e é alvo de lançamento de esgotos industriais. (foto: http://www.panoramio.com/photo/32517104)

A Oeste com o município de Caucaia, do referido cruzamento em linha reta, até o bueiro da Estrada de Ferro Fortaleza-Sobral sobre o rio Tatumundé, descendo por este até seu encontro com o rio Maranguapinho. Por este, até a sua junção como o rio Ceará, descendo por este até o Oceano.
O território de Fortaleza era dividido em Distritos: Distrito Central, cuja sede era Fortaleza; Distrito de Messejana; Distrito de Parangaba e o Distrito de Antônio Bezerra. Os limites dos Distritos eram indicados em lei estadual.

 Mapa de Fortaleza em 1952

 mapa atual de Fortaleza (google)

Com a expansão da cidade e da região metropolitana, alguns desses limites, notadamente o  Sul, teve seu referencial modificado,  e causou uma indefinição no limite da cidade. Maracanaú, localizado na Região Metropolitana,  era parte de Maranguape.  Em 1983, emancipou-se definitivamente, passando a figurar como limite de Fortaleza juntamente com Pacatuba e Itaitinga. O problema é que não ficou definido onde termina um município ou onde começa o outro.  
A conta do imbróglio ficou para a população que mora no limite entre Fortaleza e Maracanaú, que não sabe de quem cobrar serviços básicos, como o serviço de esgoto e atendimento em postos de saúde.  No traçado dos mapas oficiais, há muitas divergências. Existem ruas que estão no mapa dos dois municípios. E há casas em que a frente pertence a Fortaleza e o quintal ao município vizinho.

 Maracanú - Distrito Industrial (foto jangadeiro online)

A “conurbação”, fenômeno que acontece quando dois municípios se unem como se fossem o mesmo,  tem deixado a população que mora nessas áreas em dúvida. No Siqueira, bairro que fica no limite de Fortaleza e Maracanaú, os moradores nem sempre sabem em que município vivem.  Pelo mapa, o bairro do Siqueira figura nos dois municípios.
O cruzamento entre as ruas Santo Antônio e Ralf Colares Cavalcante, no mapa de Fortaleza, pertence a Maracanaú. Mas as contas que chegam, confundem os moradores: a de água veio com o endereço em Fortaleza, já na de luz, a cidade é Maracanaú.
O problema que os moradores da região enfrentam chegou ao IBGE. No último censo, foi preciso preparar um traçado próprio. Os limites previstos pelos municípios passam bem no meio de alguns imóveis. “Para quem faz o trabalho de censo do IBGE, nós tivemos que fazer um ajuste de forma tal que pudéssemos trabalhar no sentido de coletar as populações”, explicou o coordenador do setor da base territorial do IBGE, José Carlos.
A situação perdura já há alguns anos, sem muita perspectiva de que venha a solucionada num curto ou médio prazo. Pior para os moradores.

fonte:
Guia Turístico da Cidade, editado pela Prefeitura de Fortaleza em 1961, administração do General Manuel Cordeiro Neto.
Jornal Diário do Nordeste
wikipédia

10 comentários:

Didi Alves disse...

O mesmo aconteceu com os bairros Pedras e Ancuri que fazem divisa com Itaitinga e recentemente foi criado um bairro denominado Barrocão bem no meio do bairro Pedras mais precisamente entre as ruas Luís Bento,Joaquim Trajano,Pereira Coutinho e Jorge Figueiredo que de fato pertencem a Fortaleza se bem que em parte da rua Pereira Coutinho ainda tem aqueles ''pratinhos'' por cima das lâmpadas de iluminação pública da mesma que a Cité Luz empresa prestadora de serviços à Prefeitura de Fortaleza não trocou provavelmente por causa dessa questão dos limites de município.A Praça Santa Luzia que já foi visitada pela reportagem da TV Verdes Mares está situada dentro desse lugar denominado Barrocão segundo consta no Mapa Google quando na verdade o bairro é Pedras em Fortaleza e próximo a ela existe um Centro de Saúde que é da Prefeitura de Fortaleza e por lá passam duas linhas de ônibus também de Fortaleza.Na Jorge Figueiredo há uma escola também da Prefeitura de Fortaleza portanto não há razão para dizer que Pedras e Ancuri pertencem a Itaitinga.

Fátima Garcia disse...

Olá Didi Alves,
Os bairros de Pedra e Ancuri figuram no mapa de Fortaleza, o problema vem dessas novas localidades, criando bairros dentro de bairros. Se as prefeituras municipais não cuidarem de definir esses limites, as confusões futuras só tendem a aumentar.
abs

Anônimo disse...

Nao entendi porquê motivo o limite ao sul de fortaleza se dar pelos municipios de pacatuba a qual fica por tras do de maracanau?. E maranguape pois este esta bem distante de fortaleza?.
Att.: Daniel Santiago

Fátima Garcia disse...

anônimo,
Maracanaú era parte de Maranguape. Quando Maracanaú se emancipou, passou a fazer limite com Fortaleza.

Carlos Alberto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Alberto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Alberto disse...

Fortaleza

Carlos Alberto disse...

Os municípios como Maracanau e Caucaia, estão invadindo os limites da Capital cearense.Cobrando impostos indevidamente, Não respeitando a Constituição brasileira e, a Lei das divisas dos Municípios. Está bem clara é só olhar o Mapa da Capital cearense de 1961, aí então todos verão a verdade. Estão se apossando das terras de Fortaleza. É bom que os Vereadores da Capital olhem para este problema urgentemente. Carlos Alberto do Si queira.

Carlos Alberto disse...

Os municípios como Maracanau e Caucaia, estão invadindo os limites da Capital cearense.Cobrando impostos indevidamente, Não respeitando a Constituição brasileira e, a Lei das divisas dos Municípios. Está bem clara é só olhar o Mapa da Capital cearense de 1961, aí então todos verão a verdade. Estão se apossando das terras de Fortaleza. É bom que os Vereadores da Capital olhem para este problema urgentemente. Carlos Alberto do Si queira.

Genilson Alves disse...

o municipio de maracanaú esta usurpando territorio do municipio de fortaleza. hoje. tambem ha um grande problema que o siqueira ou seja o jardim jatoba foi fatiado pelo entao prefeito Júlio cersa foi invadindo pouco a pouco isso aconteceu.