domingo, 29 de abril de 2012

O Fim Melancólico do Colégio Júlia Jorge



O colégio foi inaugurado com pompa e circunstância, no dia 24 de junho de 1966, com a presença do presidente da república, do Governador do Estado, e outras autoridades. Foi instalado na esquina das ruas General Piragibe com a Azevedo Bolão. Estabelecimento de ensino da rede cenecista, o Júlia Jorge foi a grande opção de escola de boa qualidade para moradores dos bairros da Parquelândia, Parque Araxá, Monte Castelo  e vizinhanças.  Em 2007, fechou, encerrou as atividades, segundo dizem, por falta de alunos. Depois, o prédio foi vendido a uma imobiliária, e já começou a ser demolido. No local, serão construídos uns blocos de apartamento.



Estudei no Júlia Jorge, no que seria hoje parte do primeiro grau e todo o segundo grau, direção do Professor Eufrásio e depois (ou antes, não lembro direito) do professor Lúcio Melo, numa época em que agredir ou desacatar professores era algo absolutamente impensável,  os encontros com colegas na porta da escola, era amistosos e divertidos, e as instalações e móveis da escola era bem conservados, porque depredar bens públicos era inadmissível. Coisa de gente sem educação.  O Júlia Jorge é o segundo colégio que eu estudei, a ser fechado. Agora só falta a UFC. 

fotos: Fátima Garcia

34 comentários:

Mandai disse...

lINDO É
UMA CRIANÇA A SORRIR
LINDO É
UM BALÃO COLORIDO A SUBIR...

Foi nesse versos que eu dei meus primeiros passos à minha nova sala de aula...
Confesso que só vim a entender o que a música dizia, muitos anos depois de sair da escola, pois o som era horrível e incompreensível.
Em seu texto vc mencionou o grande e inesquecível Eufrázio... Naquela época eu tinha um terrível medo dele... mas... Eu tocava na banda de música e vez por outra éramos convidado para os bailes de formatura do 30. ano... foi inesquecível cada momento ali vividos... Ainda hj custo a acreditar que aquela escola tão tradicional faliu... é uma pena mesmo. Mas obrigado por me lembrar de momentos tão agradáveis que vivi ali. A saudade foi tanta que deu até nó na garganta... obrigado!

Fátima Garcia disse...

Olá Mandai
o tempo em que estudei no Julia Jorge ficou gravado na minha memória como um dos melhores períodos da minha vida. Aacabar com o colégio, e depois destruir o prédio sem deixar vestígios, é como apagar uma fase da vida de quantos estudaram lá. Uma pena.

Alberto disse...

O CE Júlia Jorge, na época da diretoria do Lúcio Melo Filho, o "Lucinho", tornou-se um colégio que além da educação didática, ensinava seus alunos a serem pessoas, a serem seres humanos dignos e respeitadores das leis e da boa convivência em sociedade, são raras as exceções, da minha turma, que se formou em 1997 no 'CNEC SUPER', todos saíram encaminhados para a vida, todos passaram em vestibulares, praticamente todos vivem bem hoje em dia. E o melhor, muitos de nós daquela turma somos amigos até hoje, somos padrinhos uns dos outros, o Julia Jorge nos fez praticamente irmãos. Em 2013, faremos 15 anos de formatura daquela turma, faremos um 'encontrão' no restaurante Parque Recreio em Fortaleza, a partir das 17 horas. Aproveito para convidar a todos que possuem algum sentimento pelo colégio. Uma pena ter acabado do jeito que acabou, mas ficam as memórias, as lembranças e principalmente as pessoas que lá se formaram. Dessa forma, o Centro Educacional Julia Jorge, é eterno.

Alberto Junior - CNEC SUPER 1997

Fátima Garcia disse...

Olá Alberto,
compartilho com você as boas lembranças do Júlia Jorge, apesar de ter estudado lá bem antes de você. Mas as instituições que tem bons principios e boas práticas, sempre as mantem a as transmitem à todas as gerações que frequentaram suas salas. Saudades muitas, do meu Colégio Julia Jorge.

Inalba Araujo disse...

Na época que ingressei nesse Colégio, ainda foi no tempo do "Exame de Admissão", que faziamos da 4ª para 5ª série. O Diretor era o Profº Oscar, todas as meninas o achavam lindo, kkkk. Depois veio o Eufrásio, mas eu já estava saindo. "Velhos tempos, belos dias". Marcou muito a minha vida este estabelecimento de ensino. Os professores super preparados. Amei fazer parte dessa familia cenecista.

Fátima Garcia disse...

Pois é Inalba, também só tenho boas lembranças do meu tempo de estudante do Júlia Jorge.

Flora Marjorie disse...

Vivi uma estoria de 14 anos no Julia, pois entrei com 14 anos, para estudar e depois passei a ser permissionaria das cantinas onde pude acompanhar o triste fim do nosso amadoJulia. Inesqueciveis feira das naçoes, hasteamento da bandeira toda quinta feira, o hino, e a farda marrom,então? E os professores Ferreirinha, a Zilma, e o Tavares? Jamais esquecerei...

Fátima Garcia disse...

Oi Flora, também entrei adolescente no Júlia Jorge, e foi um tempo inesquecível. Encerrar as atividades do colégio e depois, demolir o prédio foi um duro golpe.

EDUARDO disse...

Oi Fátima, primeiro quero dar-lhe os parabéns! Ora quanto tempo faz e quantas lembranças. Já se vão algumas décadas! Sou da turma de 1986, Diretor Eufrásio, professores Tavares, Chaguinha, e o Professor de Biologia Paulo Mendes, salvo engano. Tempos bons! Na minha turma, com muita modéstia, quase todos passaram no vestibular, lembro-me agora dos cursos de direito, medicina (Joãozinho), educação física, turismo, engenharia elétrica (Sidney) e eu, engenharia agronõmica. E uma pena ver as nossas lembranças do Saudoso Colégio Júlia Jorge sendo enterradas para dar lugar um prédio. Lembro-me dos jogos de interclasse, os namoros, oh tempo bom!

EDUARDO disse...

Oi Fátima, primeiro quero dar-lhe os parabéns! Ora quanto tempo faz e quantas lembranças. Já se vão algumas décadas! Sou da turma de 1986, Diretor Eufrásio, professores Tavares, Chaguinha, e o Professor de Biologia Paulo Mendes, salvo engano. Tempos bons! Na minha turma, com muita modéstia, quase todos passaram no vestibular, lembro-me agora dos cursos de direito, medicina (Joãozinho), educação física, turismo, engenharia elétrica (Sidney) e eu, engenharia agronõmica. E uma pena ver as nossas lembranças do Saudoso Colégio Júlia Jorge sendo enterradas para dar lugar um prédio. Lembro-me dos jogos de interclasse, os namoros, oh tempo bom!

EDUARDO disse...

Oi Fátima, primeiro quero dar-lhe os parabéns! Ora quanto tempo faz e quantas lembranças. Já se vão algumas décadas! Sou da turma de 1986, Diretor Eufrásio, professores Tavares, Chaguinha, e o Professor de Biologia Paulo Mendes, salvo engano. Tempos bons! Na minha turma, com muita modéstia, quase todos passaram no vestibular, lembro-me agora dos cursos de direito, medicina (Joãozinho), educação física, turismo, engenharia elétrica (Sidney) e eu, engenharia agronõmica. E uma pena ver as nossas lembranças do Saudoso Colégio Júlia Jorge sendo enterradas para dar lugar um prédio. Lembro-me dos jogos de interclasse, os namoros, oh tempo bom!

Fátima Garcia disse...

é verdade, Eduardo, mas hoje nada restou, o Júlia Jorge só vive nas nossas lembranças. triste, né?

Anônimo disse...

Estudei no Júlia Jorge, nos anos 1967/1970, oriundo do Colegio Arminda de Araújo, na Bezerra de Menezes.O diretor era o Prof. Oscar, mas que comanda as ações era o Prof. Arruda, ás quinta-feiras, colocava as bandeiras no mastro, no turno matutino, participei de muitas tertúlias ao som dos BELGAS, conjunto que tinha 90% dos componentes alundos do colégio, que tempo bom,acaba não mundo velho.

Fátima Garcia disse...

esses professores, principalmente o Oscar, o Lúcio Melo, o Eufrásio, atuaram muito tempo no Júlia Jorge e construíram uma boa reputação ao colégio. Bons tempos

Anônimo disse...

Estudei lá em 1967/1972. Apesar do momento político conturbado éramos felizardos por frequentar tão renomado colégio. Lembro das danças no pavilhão na hora do "recreio". O prof. Oscar Rodrigues - grande diretor - o prof. Luis Orlando Rodrigues, Manuel Arruda, Sebastião Carlos e tantos outros mestres. A eterna rivalidade entre o JG e o João Pontes, nos jogos intercolegiais. Ai que saudade!
Terra que não valoriza o que tem de bom. Só nos resta esperar pelo aquário...

Anônimo disse...

Estudei lá em 1967/1972. Apesar do momento político conturbado éramos felizardos por frequentar tão renomado colégio. Lembro das danças no pavilhão na hora do "recreio". O prof. Oscar Rodrigues - grande diretor - o prof. Luis Orlando Rodrigues, Manuel Arruda, Sebastião Carlos e tantos outros mestres. A eterna rivalidade entre o JG e o João Pontes, nos jogos intercolegiais. Ai que saudade! Terra que não valoriza o que tem de bom. Só nos resta esperar pelo aquário...

Fátima Garcia disse...

pois é, anônimo, só que o aquário não faz parte nem da nossa história e nem da formação de centenas de jovens que passaram pelo Júlia Jorge. abs

Liaserrazul disse...

Olá Fátima, estudei no Júlia Jorge até 73 quando terminei o ginásio. O Diretor era o Eufrásio. O Chaguinha era da minha classe. O último ano foi muito triste, perdemos nosso amigo Vicente num acidente na Bezerra de Menezes. Nossa festa foi maravilhosa no Clube Líbano. Que saudades!!! E agora só nos restará as lembranças. Bjus

Fátima Garcia disse...

Bons tempos queles, né Lia serraazul, a festa da minha turma foi no Clube de Regatas, sei nem que ano. rsrsr
abraços

Anônimo disse...

O Centro Educacional Júlia Jorge, fechou por má administração da CNEC.
Era um bom colégio, com atividades artísticas e extracurriculares que quase não se vê mais hoje em dia.
Terminei só o Fundamental lá.
Me arrependo de não ter feito o médio (que não pude fazer em escola particular, fiz na pública mesmo).
Tenho praticamente só lembranças boas.
Fiz amigos que cultivo até hoje.

Gildete Mesquita Ribeiro disse...

Também estudei no Júlia Jorge de 1980 a 1984 e, sempre que passo lá, ao ir para a casa da minha mãe bate uma saudade imensa. Ótimos professores, é realmente uma pena ter acabado. Lembro muito dos Professores de português: Costinha e Luís Carlos, de matemática: Emilson, de Biologia: Paulo Danúbio, do diretor Eufrásio e tantos outros. Gostei muito do seu blog, Fátima Garcia

Anônimo disse...

Estudei no JJ em 1979 e 1980. Saudades!

ALBA SARDINHA disse...

Estudei no JJ entre 1977 a 1981, que tempo bom! Boas lembranças . O super prof Eufrasio era o diretor... Adorava comprar o uniforme e o material no próprio colégio, não faltava nada, muito legal! Lembro de uma professora de inglês, de nome Cicera, ela me ajudou bastante, eu não conseguia aprender mesmo estudando pq não tinha base, ela chamou minha mãe e conversou, não dizendo coisas ruins de mim, mas orientou minha mãe que eu deveria ter um reforço, dai fui fazer curso de inglês e fui feliz pra sempre... risos... Pelo menos no inglês da tia Cicera... Boas lembranças...

Unknown disse...

Meu grande amigo Alberto, saudade dessa época , tudo Q vc falou é pura verdade, eu tocava na banda de música, amava toar , viajávamos direto pra tocar na rede de escolas cenecistas , época muito boa,Q não será apagada jamais, abraço a todos os cenecistas de coração

alex brasa Luto disse...

Alexsandro ( Alex brasa Jj)

Antonio de Pádua Brito Menezes disse...

São Lembranças boas e um tanto doloridas para alguns...
O período 68-70 foi um "passa-te quieto" em muitos!!!
...Fizemos um 'levante' contra um professor de Matemática no
jornalzinho do primeiro e segundo ginasial e no fim de ano
toda a turma foi reprovada em francês e 'convidada', particularmente
eu e um amigo Afonso a ir para outros colégios...
...Mas o som das músicas de Roberto Carlos e Dom & Ravel, são uma
mistura de alegre passado com desconforto emocional desta força e forçosa lembrança...
...Mas uma coisa é certa o "exame de admissão" era um 'vestibular'
muito rigoroso e só os melhores entravam nesta escola! Eu por exemplo
morava na Aldeota (Próximo ao, primeiro shopping, "Center Um" e estuava
lá só por sua excelência de ensino!) Lá colhemos uma ótima base de estudos
que nos encaminhou a uma vida embasada de princípios acadêmicos fortes!...
..."J'ne parle pa fracese!" mas nunca fui excelência em nenhum idioma!...
Sou arquiteto em Porto Alegre e reverendo da Ordem Presbiteral Metodista.
Com 25 anos de separação da terrinha já não reconheço os espaços de uma cidade tão alterada em seus sítios históricos e simbólicos da Fortaleza antiga! No entanto reconheço os esforços dos meus pares urbanistas locais!
...No mais, um abraço e feliz 2016 aos antigos cenecistas, em especial Afonso, Henrique, Lurdinha... (PS2. Em Gramado-RS há uma escola em plenos moldes CNEC, atrás da catedral católica, com apoio de toda a comunidade, só assim se sobrevive hoje!)

Fátima Garcia disse...

boas lembrança Antônio de Pádua, mesmo as doloridas perdem a força com o passar do tempo. O lugar que estava o Júlia Jorge agora tem um condomínio classe média, com vários prédios enormes. E do nosso colégio só restou saudade. abs, feliz 2016

Anônimo disse...

Estudei no Julia Jorge de 1981 a 1988. Lamento muito o fechamento do colégio e a demolição do prédio.
Pedro.

JOÃO PAULO JUNIOR disse...

Bom dia Fátima e ex-alunos,

Estudei no nosso querido Júlia Jorge em 1986 (2º científico) e 1987 (3º científico), quando o prof. Eufrásio era diretor. Lembro com carinho dos colegas que compartilharam comigo momentos inesquecíveis tais como as feiras de ciências. Lembro que, mesmo depois de vários anos, ainda nos reencontrávamos nas feiras posteriores nos anos 88, 89, 90, mesmo após estar na faculdade. Ver o JJ ser demolido é doloroso...sinto como se tivessem "assaltado" minhas lembranças, que permanecem vivas mas pesarosas por não termos mais a presença física daquele que foi nosso verdadeiro lar por tantas e tantas manhãs e tardes!

Só tenho a dizer que felizes fomos e sempre seremos por termos as recordações de nossos tempos de adolescência que estão gravados eternamente...

Parabéns Fátima, pela iniciativa,

Um grande abraço

JPJ

Simone Freitas disse...

Boas recordaç~es e muita saudade em um tempo que não tem as facilidades do reencontro como hoje..Cícera, brincavam, amor de Perdigão..parafraseando a literatura clássica "Amor de Perdição"..rsrsrs bons tempos! Há uma página no face? que tal criarmos uma comunidade? Abraços! Simone Freitas.

eliana disse...

estudei nesse colegio em 1993. estudei com bolsa tava vindo do interior e me sentiaa o maximo ao chegar e escutar um hino lindo que tocava nos intervalos alem do hino da cnec. lembro de umaa vez que fui pra feira de ciencia de chinelo e nao pude entrar, severo o colegio , e tive que pedir o sapato de um colega emprestado que ele me passou por um espaço minusculo que encontramos... muita saudade . apesar de eu sempre ter me sentido uma estranha no ninho naquele colegio ele me marcou muito. queria lembrar o nome de um professor maravilhoso de geografia que tava la na epoca da direçao do lucinho. se alguem lembrar me fala rs!

titanio65 disse...

Estou fazendo uma pesquisa sobre o ensino de Matemática no Ceará na década de 1960. Gostaria de informações sobre os arquivos e a biblioteca da Escola Júlia Jorge, pois a CNEC participou de convênios com o Núcleo do CECINE no Ceará e este acervo pode ajudar na minha pesquisa. Cordiais Saudações !!

Julio Vei Pescador disse...

Fatima, você estudou em qual ano no JJ ? Entrei lá em 88 e fiquei até 92 no período da tarde. Deixa ver de quem lembro, dos professores: Eufrásio (Diretor) Lucinho (Diretor, a partir de 92), Ulisses (coordenador), Chagas (matemática), Franzé (Português/literatura), Edgar (Português), Tavares (Geografia), Galbo (Biologia), Dráuzio (biologia), Marcão (Física) Ari "aprendizagem rápida de ingles" , Aníbal (história), entre outros.
Muito tempo depois, lá por 2008, encontrei o Eufrásio numa cidade do interior, trabalhando como representante de uma editora, acho. Abração !

JOAO PAULO FURTADO TAVARES disse...

Hoje acordei pensando no 2º grau (à época). Fiz o 3º ano (CNEC SUPER) no período da tarde no CEJJ em 1995. Lembro de muita coisa do colégio. Das amizades que hoje se encontram espalhadas mundo afora. Alécio, Herbert, Júnior, Sullivan, Stevens, Américo e perdão aos demais pois não me recorDo. Foi um ano muito bom. Lembro que me apelidaram de pitt, não sei porque...rsrsrsrsrs.
É uma pena o fim do colégio.