quinta-feira, 14 de julho de 2011

Jacarecanga – do apogeu ao esquecimento


Avenida Philomeno Gomes, década de 1940 (arquivo Nirez) 

O Bairro do Jacarecanga surgiu na década de 1920, quando famílias de elevado poder aquisitivo começaram a se afastar do centro. O bairro localizado na zona Oeste da cidade,  nasceu nas proximidades do riacho do mesmo nome, onde se aglutinavam em sobrados, os representantes das elites comercial e agrária. 


Riacho Jacarecanga em tempos passados e hoje. Canalizado e subterrâneo, na maior parte de sua extensão, vira um esgoto a céu aberto no trecho do bairro que leva seu nome.  


Até a década de 1940 o Jacarecanga era o bairro mais aristocrático da cidade, com um conglomerado de magnificas residências, sobressaindo-se a casa de três andares de Pedro Sampaio e o monumental palacete de Tomás Pompeu Sobrinho, com 38 cômodos, localizado na Avenida Francisco Sá, 1801. 


Construída em 1924, a moradia é cópia de  uma residência de Portugal. Foram empregados na sua construção os mais nobres materiais, quase tudo importado da Europa, até os azulejos e o cimento vieram de Portugal.




O prédio do liceu do Ceará foi inaugurado em 1935, na Praça Fernandes Vieira, que em 1960, passou a se chamar Praça Gustavo Barroso. O logradouro foi reformado no ano 2000, na gestão do prefeito Juraci Magalhães. A estátua de Gustavo Barroso encontra-se coberta de pichações, assim como os demais equipamentos da Praça. Por iniciativa do Instituto do Ceará, os restos mortais do político foram transferidos para a praça no ano de 1965.


Na Praça Gustavo Barroso encontram-se outros equipamentos importantes, como o Quartel do Corpo de Bombeiros e o Colégio Estadual Juvenal Galeno.  



Na Praça Gustavo Barroso - mais conhecida como Praça do Liceu - diversas casas de belo estilo já não existem, demolidas para dar lugar a prédios de apartamentos. As que resistiram à especulação imobiliária, encontram-se em mau estado de conservação.



O Jacarecanga abriga diversas instituições de cunho religioso ou de apoio social como o Instituto Bom Pastor, Capela das Filhas de Santana Rosa Gatorno, Lar Nossa Senhora de Fátima, a Igreja dos Navegantes dentre outros. 

Novos investimentos estão sempre chegando ao Jacarecanga. O Condomínio residencial ainda está em construção, mas já invadiu a calçada, que é espaço público.

Com a crise internacional de 1929, quando houve quebra nas exportações dos produtos primários brasileiros, e teve como consequência a queda no preço do algodão, surgiram em Fortaleza os primeiros estabelecimentos comerciais de grande porte. 
A ferrovia, cortando a zona oeste e a implantação da oficina da Rede Viação Cearense, em 1928,  atraíram os primeiros estabelecimentos fabris e a mão-de-obra neles empregada. As indústrias se instalaram ao longo da Avenida Francisco Sá e se estenderam até a Barra do Ceará, formando um polo industrial.


Com as grandes secas e o agravamento da questão agrária, crescem as migrações para Fortaleza e surgiram também as primeiras favelas. Pra fugir dessa vizinhança e da proximidade das favelas, a população de alta renda abandona a Jacarecanga e se instala na Zona Leste, nos bairros residenciais de classe média alta: Aldeota, Praia de Iracema, Meireles.
Ainda hoje O Jacarecanga guarda lembranças de sua época de glamour, como os grandes casarões, hoje em sua maioria ocupados por órgãos da administração pública, escolas ou sindicatos. 







Os velhos casarões, a casa com arquitetura semelhante a do Clube Náutico, e a calmaria da pequena rua, são símbolos de uma época de glamour na história da cidade. 

fotos: Rodrigo Paiva

14 comentários:

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Matéria muito boa (pra variara!).
Estou precisando das fotos do Riacho Jacarecanga (da antiga e da atual).
Por favor me mande por e-mail.
Obrigada, abraço!

Fátima Garcia disse...

Olá Lúcia,
enviei as fotos p/seu email.
abs

Raquel Sayonara disse...

Olá, estou precisando de umas fotos antigas do bairro Jacarecanga para um trabalho da faculdade. Desde já fico agradecida. Meu e-mail é raquel-sayonara@hotmail.com

Fátima Garcia disse...

mandei as fotos p/seu email, Raquel Sayonara

edgleisonconvida disse...

Ótimo post! Parabéns! Sou estudante de Ciências Sociais na UECE e estou fazendo um trabalho de campo sobre o bairro Jacarecanga,para a disciplina de História do Ceará.Gostaria de saber se você poderia me ajudar com alguma informação, contato de pessoas no bairro que saiba da história do bairro e seja acessível à depoimentos, e se tiver algum documento que possa me ajudar na pesquisa... Caso seja possível a sua colaboração, favor enviar material para edgleisonvieira8@gmail.com
Desde já agradeço a compreensão!
Edgleison Rodrigues, estudante de Ciências Sociais na UECE.

Edgleison Rodrigues disse...

Ótimo post! Parabéns! Sou estudante de Ciências Sociais na UECE e estou fazendo um trabalho de campo sobre o bairro Jacarecanga,para a disciplina de História do Ceará.Gostaria de saber se você poderia me ajudar com alguma informação, contato de pessoas no bairro que saiba da história do bairro e seja acessível à depoimentos, e se tiver algum documento que possa me ajudar na pesquisa... Caso seja possível a sua colaboração, favor enviar material para edgleisonvieira8@gmail.com

elisangela lopes disse...

Ola Fátima estamos fazendo um trabalho para a Revista A ponte da Unifor, gostaríamos de sua colaboração de nos informar nomes de antigos moradores do bairro que possam nos falar sobre esse momento de glamour que Jacarecanga viveu no passado e que fez parte de algum modo da vida dessas pessoas. É muito importante a título de urgência, por favor. Meu contato é
elisangelopesii8@hotmail.com, sou estagiária da tv unifor meu telefone é 91004929, estudante de Jornalismo.

elisangela lopes disse...

Gostaria que nos ajudasse dando-nos contato de ,oradores antigos do bairro Jacarecanga.É muito importante, pois é para uma matéria da Revista A Ponte da TV Unifor.
Meu contato é elisangelalopesii8@hotmail.com - Sou estudante de Jornalilsmo da Unifor e estagiária da TV Unifor. Fone 9100492980

Fátima Garcia disse...

Olá Elisangela,
não conheço ninguém nessa condição, mas sugiro a você que procure informações a respeito de moradores antigos nos estabelecimentos comerciais do bairros, nas sedes de sindicatos, que lá tem vários, e na sede da oficina de oficios de Thomaz Pompeu, na Av, Francisco Sá, 1801. As pessoas gostam de conversar e contar sobre o passado do bairro.
boa sorte

Anônimo disse...

que legal aprende muito moro aqui no morro do ouro e ta bem perigoso com os nvos abitantes mais ainda tem muitos antigos como minha vÓ ela chegou aqui em 1972 tenho 10 anos estudo no olinto studart proximo ao liceu queria que vc colocasse alguma coisa sobre ele com imagem e coisas importantes tenho facebook joice gomes valeu aprendi muito obrigado

Fátima Garcia disse...

Olá Joyce,
não tenho fotos do Morro do Ouro, mas posso pesquisar sobre o lugar. Alguém de sua família não teria fotos? você poderia mandar para o email do blog.
abs

Bárbara Degues disse...

Gostaria de saber quais os monumentos históricos, ou casas ou liceus, algo mais antigo, que nao são tombados, do bairro Jacarecanga, alguém pode me informar?? obrigada!

Emyle Sousa disse...

gostara de fotos do bairro antigas me envie no email

Gracilene Araujo disse...

Olá, gostaria de saber a origem do nome Francisco Sá, para um trabalho de escola do meu filho. Desde já, obrigada. psi_gracilenearaujo@hotmail.com