quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Os Correios e Telégrafos no Ceará

Os Correios foram criados no Ceará durante a gestão de Manoel Inácio de Sampaio, governador da Capitania do Ceará entre 19 de março de 1812 e 12 de janeiro de 1820. A primeira agência foi instalada em 1° de maio de 1812, administrada pelos escrivães da Junta de Fazenda e funcionando no prédio da Tesouraria da Fazenda  e no prédio de n° 12, na Praça General Tibúrcio.

 A casa que pertenceu a José Antônio Machado e onde estiveram diversos órgãos públicos, foi a primeira sede dos Correios. Foi demolida para a construção do Fórum Clóvis Beviláqua.


Após a inauguração da agência de Fortaleza, a qual se ligava com as principais vilas do Ceará, Sampaio enviou à Corte projeto do Correio ligando as principais capitanias com a Corte, assim as correspondências particulares e oficiais poderiam chegar às Capitanias do Sul e à Corte. A proposta foi aprovada. Em abril de 1820 o governador Francisco Alberto Rubim foi incumbido de estabelecer o serviço de correios entre o Ceará, e Pará, Maranhão, Paraíba, Minas Gerais e Goiás.  Em 1828 o Correio foi reformado,  sendo estabelecido Correios Marítimos e Terrestres nas Províncias. 
No Ceará os comerciantes das primeiras vilas servidas pelos Correios pagavam taxas para complementar as despesas com as correspondências, uma vez que a arrecadação não era suficiente.

 Palacete Iracema, na esquina das Ruas Floriano Peixoto e Guilherme Rocha, onde no primeiro andar,funcionou o Telégrafo antes de unir-se aos Correios (foto do arquivo Nirez)


O telégrafo foi inaugurado em 17 de fevereiro de 1878 com a instalação da linha entre Fortaleza e Aracati com 141 km de extensão, inicialmente a estação funcionou na Praça da Sé, indo depois para a Rua Senador Pompeu n° 80, prédio da Delegacia Fiscal, Palacete Fênix da Praça José de Alencar e no Palacete Iracema (Sobrado do Pastor), na Praça do Ferreira onde funcionou até o início de 1934. A unificação do Correio com o Telégrafo ocorreu na gestão de Bernardo Café Filho.

 Rua Floriano Peixoto, com a lateral do prédio dos Correios em primeiro plano (arquivo Nirez)


A partir de setembro de 1851, instalou-se no térreo da Câmara Municipal, na Rua Floriano Peixoto, prédio da Intendência Municipal, saindo dali para o n° 56 da Rua Formosa (atual Barão do Rio Branco) e passando depois para o térreo da Assembleia Legislativa, de onde saiu para o edifício da Praça dos Mártires – antiga sede do Clube Cearense, do qual saiu para a sede atual. 

 O novo prédio dos Correios e Telégrafos foi inaugurado em 1934, projeto dos engenheiros Humberto Menescal e Santos Maia. (foto do arquivo Nirez)


Em 14 de fevereiro de 1934, o Correio mudou-se para o novo edifício na Rua Floriano Peixoto, inaugurado pelo interventor Carneiro de Mendonça, e com a presença de cerca de 10 mil pessoas. O belo e amplo edifício de 3 pavimentos, no estilo art-dèco ocupa uma área de 1440 m² e atingia 17,55 metros de altura no centro das fachadas (partes mais altas da edificação).   

extraído do livro de Francisco Benedito
Caminhando por Fortaleza 

Nenhum comentário: