terça-feira, 27 de dezembro de 2011

A Centenária Ponte Metálica


No tempo em que a Ponte metálica funcionava como Porto de Fortaleza, os embarques e desembarques eram verdadeiras aventuras: passageiros pulavam das embarcações para os batentes oscilantes da ponte, (e vice-versa)apoiados apenas por remadores. Era comum o banho de mar nessas ocasiões. (arquivo Nirez)

A centenária ponte metálica nos dias atuais: apenas ruínas, confirmando a nossa tradição de cidade sem memória, que não preserva, não lembra, não registra, nem sente saudades de nada que diga respeito ao passado ou à história de Fortaleza. O mais provável é que daqui a mais alguns anos, a Ponte Metálica repouse no fundo do mar de Iracema.  

O primeiro porto de Fortaleza completou 105 anos. Concluída em 1906, a Ponte Metálica funcionou como ponto de embarque de passageiros até 1947, quando o serviço foi desativado em razão do inicio de operação do Porto do Mucuripe.
 A ponte passou por reformas na década de 1920, devido ao desgaste provocado pela maresia, tendo sido reinaugurada em 1928, com o nome de Viaduto Moreira da Rocha.  Apesar do valor histórico e cultural para a cidade, o equipamento mostra claros sinais de abandono, enquanto o poder público municipal diz estar em busca de recursos para recuperar a ponte metálica.

A Prefeitura promoveu uma reforma no calçadão da Praia de Iracema até poucos metros antes do começo da Ponte Metálica, deixando a continuação com o cenário de pedras, lixo e concreto quebrado.

Os principais frequentadores e defensores da recuperação da ponte são os moradores do Poço da Draga, comunidade localizada nas imediações e que demonstra profunda preocupação com os projetos que estão sendo pensados para a área sem a participação da comunidade, que se consideram os principais interessados.

O piso estragado ainda guarda as marcas dos antigos trilhos por onde corriam as máquinas que levavam e traziam as riquezas da cidade. 

A comunidade do Poço da Draga estabeleceu uma estreita relação com o mar,e com a ponte metálica  por causa da proximidade. Tal relação é fácil de ser percebida ao ver a desenvoltura de crianças e adolescentes que praticam perigosos mergulhos do alto da estrutura corroída e deteriorada da velha ponte. 

fotos:
Rodrigo Paiva
Fátima Garcia

6 comentários:

Cesar Garcia disse...

Parabens pelo defesa de nossa memória! Espero que ative a discussão em nossa cidade para o que o poder público resgate a memória de nossa saudosa Ponte Metálica! Abraços.

Fátima Garcia disse...

Obrigada César Garcia,
tenho esperança de que depois de construirem o aquário e revitalizarem aquele trecho, se lembrem de olhar para velha Ponte Metálica, equipamento de valor histórico da cidade.
abs

Alexandre Rocha disse...

Fátima adorei as explicações!!!

Alexandre Rocha disse...

Qual o prédio dos correios mais antigo em fortaleza?

Alexandre Rocha disse...

Qual o prédio dos correios mais antigo em fortaleza?

Alexandre Rocha disse...

Fátima adorei as explicações!!!