terça-feira, 4 de outubro de 2011

O Governo Vicente Fialho e a construção das Avenidas

As Avenidas Aguanambi, Borges de Melo  e  José Bastos são algumas das grandes vias da Fortaleza atual que nasceram na gestão de Vicente Fialho. Prefeito de Fortaleza entre 1971 e 1975, Vicente Fialho teve sua gestão marcada pela abertura de vias importantes para a Capital. 


Avenida Aguanhambi 

Liga a Avenida Dom Manuel à Avenida Borges de Melo. Sua construção foi iniciada em 2 de junho de 1971, e  inaugurada um ano depois, em 1° de junho de 1972.  

Na lista de avenidas construídas durante seu mandato estão a Aguanhambi, e a Borges de Melo, em 1972, a Presidente Castelo Branco (Leste Oeste) em 1973, a Zezé Diogo, o Quarto Anel Viário e a  José Bastos, em 1975.

Engenheiro especializado na área de transportes, Fialho assumiu a gestão municipal em uma época em que os problemas neste setor saltavam aos olhos. 
Não havia, por exemplo, uma avenida que ligasse o Porto do Mucuripe à região industrializada da cidade, na Barra do Ceará.  Na política, o tempo era de ditadura militar e Fialho chegara ao governo municipal por indicação do coronel César Cals, então governador do Ceará.

A Praça do Ferreira, inicio dos anos 1970. Os famosos caixotes que descaracterizaram e enfeiaram o coração de Fortaleza, foi herança do antecessor, José Walter Cavalcante. 

Como diretriz  para as intervenções que precisavam ser feitas, o ex-prefeito teve em mãos um Plano Diretor concebido ainda na gestão do general Cordeiro Neto, que comandou o município entre 1959 e 1963. A peça indicava soluções para o sistema viário básico e foi usada por Fialho para planejar as ações de sua gestão.

Avenida Leste Oeste, em meados da década de 1970. Ainda não havia o Hotel Marina

Construindo uma  via para ligar a região do Porto do Mucuripe à Barra do Ceará, por exemplo, resolvia-se mais que a necessidade de ligar o porto às indústrias, mas também se facilitava o acesso ao bairro do Pirambu, cujo grau de violência urbana crescia em função da pouca acessibilidade para a região.


A Avenida Leste Oeste mede em toda sua extensão, 3.500 metros. Tem inicio na confrontação da Avenida Dom Manuel e estende-se até a Barra do Ceará. 

Com essa concepção nasceu a Avenida Presidente Castelo Branco, a famosa Avenida Leste-Oeste.  A urbanização da região pôs fim, inclusive, a famosa zona de prostituição que funcionava naquela área. O detalhe é que a Prefeitura pagou às madames pela liberdade das moças.

Para resolver o eterno congestionamento  da Avenida João Pessoa, a solução foi abrir outra via de fluxo entre os bairros da região sul de Fortaleza a bairros como Centro e zona Leste.  A partir daí a gestão de Fialho executou as obras de construção da Avenida José Bastos, com três faixas em cada mão. 

Avenida José Bastos, abrangendo da Carapinima até a Osório de Paiva; passando pela Rua Augusto dos Anjos é também a segunda etapa do 4° Anel Viário de Fortaleza. (arquivo Nirez)

A maioria dos recursos empregados, nestas e em outras avenidas, foram oriundos de financiamento com o Governo Federal através do recém-criado Fundo Nacional de Desenvolvimento Urbano.


Vicente Cavalcante Fialho nasceu em Tauá, veio para Fortaleza aos 13 anos de idade, formou-se em engenharia pela Universidade Federal do Ceará e, a partir desse momento, teve uma vida pública agitada.

Antes de ser prefeito de Fortaleza, foi prefeito de São Luís do Maranhão indicado pelo então governador José Sarney; depois foi ministro das Minas e Energia entre 1989 e 1990; e deputado federal pelo Ceará, de 1991 a 1995.

Fontes:
Jornal O Povo
Wikipédia
Fotos: acervo particular de Darth Vader  

2 comentários:

paulo erico fialho disse...

fico feliz por saber que alguem que leva meu sobre nome teve parte na historia de fortaleza com criaçoes de avenidas importantes,entre outras obras.

Fátima Garcia disse...

verdade, paulo erico, Vicente Fialho é um dos poucos que escapou dessa mediocridade geral que ocupou a prefeitura local
abs.