domingo, 20 de novembro de 2011

Bairro da Estância atual Dionísio Torres

A foto aérea da década de 1960 mostra a primeira torre de televisão no Ceará, ao mesmo tempo em que revela os grandes espaços verdes remanescentes dos sítios do passado (Arquivo Nirez)

As terras que serviram de marco para a criação do bairro foram compradas em 1920, pelo farmacêutico Dionísio Torres ao Barão de Aquiraz numa área de 75 hectares.O local era conhecido por Estância, por ter sido o sítio Estância Castelo, formado por poucas casas, vários sítios e muitos coqueiros. 

No final da década de 1950, no lugar da imensa área verde, foram sendo construídas as primeiras edificações, alavancadas pela primeira emissora de televisão, a TV Ceará, vinculada aos Diários Associados, os jornais Correio do Ceará, Gazeta de Notícias e jornal do Meio-Dia. O bairro foi escolhido por ser o ponto mais alto da cidade, com altitude de cerca de 50 metros acima do nível do mar.

Estância Castelo, atual Dionísio Torres no local onde hoje está a Praça da Imprensa. Os ferros pintados de branco que aparecem na parte inferior da foto são as grades da casa que fica na esquina diagonal. Hoje neste local estão as estátuas dos jornalistas, a grande caixa dágua da Cagece, bancas de revistas e no fundo a TV Verdes Mares e o Diário do Nordeste. (arquivo Nirez)

Naquela época, o lugar funcionava como um divisor geográfico entre os bairros mais densamente povoados, que eram a Aldeota e a Messejana.

A partir da década de 1960, Dionísio Torres, personalidade importante e poderosa da época, resolveu doar terras do antigo sítio Estância Castelo, beneficiando familias carentes vindas do interior. 
 Vila Vicentina da Estância, localizada na Avenida Antônio Sales, entre as Ruas Tibúrcio Cavalcante e Nunes Valente (foto O Povo) 

A doação resultou na construção da Vila Estância Vicentina, com frente também para a Avenida Antônio Sales, somando 40 unidades residenciais.  Ainda hoje essa população de baixa renda é beneficiada com moradia, que para muitos custa apenas um valor simbólico, ou nem isso.  
     
Foram também erguidos vários colégios, como o Santo Inácio, e as primeiras residências que aglutinavam na Avenida Antônio Sales, sendo boa parte mansões, já que parte das elites manifestarem interesse pelo novo recanto. 

Aos poucos outras emissoras foram se instalando no bairro que atualmente concentra o maior número de empresas de comunicação da cidade.

 O bairro tem grande ocupação verticalizada, as residências térreas estão desaparecendo (foto Diário do Nordeste)

No dia 15 de março de 1968, foi dado oficialmente o nome de Dionísio Torres ao antigo bairro Estância, iniciativa do vereador Raimundo Linhares. 
O Dionísio Torres limita-se com os bairros Joaquim Távora, Aldeota, São João do Tauape, Cidade 2000, Cocó e das Graças.

11 comentários:

Bel Pires disse...

Quando visito o seu blog, viajo no tempo e cada dia mais amo esta cidade. Parabéns, vida longa ao Fortaleza em Fotos e Fatos.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Vivi muito essa época,na década de 1960. Fui à inauguração da Vila Vicentina, meu pai era Confrade da Sociedade São Vicente de Paulo.
Vi o desabrochar da televisão,a construção das torres, o bairro da Estância ia se transformando dia-a-dia, no que é hoje o Dionísio Torres.

Muito boa matéria, Fátima!

Fátima Garcia disse...

Bel Pires,
muito obrigada pela companhia e pelas referências elogiosas ao nosso trabalho. Volte sempre.

Fátima Garcia disse...

Olá Lúcia, pretendo fazer um post só com a Vila Vicentina, tem uma boa história. Saiba que eles vivem em constante sobressalto, por causa da especulação imobiliária.

Emmanuel Oliveira disse...

Olha, descobri agora este Blog. Excelente este site. Muito bom saber sobre a história da minha cidade. Parabéns aos idealizadores!!!

Fátima Garcia disse...

obrigada Emmanuel Oliveira, visite-nos também no facebook
https://www.facebook.com/fortalezaemfotos

igor roberto disse...

Eh uma pena que estao tentando vender a vila vicentina que abriga mais de 50 idosos que ja moram la a mais de 30 anos,foge do real proposito da doacao que Dionisio Torres fez mas os interesses particulares de alguns parecem ser maiores que a historia da vila.

imaculada Freitas disse...

Sou moradora da vila da estância,estamos sendo massacrados e humilhados pelos poderosos e especuladores mobiliários,sendo obrigados a sair de nossas moradias,diante de uma causa tão nobre que foi a doação do senhor Dionísio torres, essa é a lei, quem tem dinheiro manda!!! Foram quarenta anos muito felizes, que logo chegaram ao fim!!!!

imaculada Freitas disse...

Sou moradora da vila da estância,estamos sendo massacrados e humilhados pelos poderosos e especuladores mobiliários,sendo obrigados a sair de nossas moradias,diante de uma causa tão nobre que foi a doação do senhor Dionísio torres, essa é a lei, quem tem dinheiro manda!!! Foram quarenta anos muito felizes, que logo chegaram ao fim!!!!

Unknown disse...

Realmente estamos sofrendo os assedios das imobiliárias, mas não iremos desistir, principalmente porque somos uma zeis ( Zonas Especiais de Interesses Social ) que são áreas demarcadas no território de uma cidade , para população de baixa renda. Isso está no Plano Diretor da Cidade.

eliana saraiva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.