domingo, 8 de julho de 2012

Mercado da Aerolândia – o Gêmeo Pobre dos Pinhões


Mercado de Ferro da Praça Carolina, inaugurado no ano de 1897 (arquivo Nirez)

A estrutura de ferro do Mercado da Aerolândia é uma parte do equipamento inaugurado em Fortaleza no dia 18 de abril de 1897, na gestão do Intendente Guilherme Rocha, e do presidente Antônio Pinto Nogueira Accioly.  Seu primeiro endereço em Fortaleza foi a antiga Praça Carolina, atual Praça Waldemar Falcão, onde foi montado o Mercado da Carne.  O mercado era formado por dois galpões, unidos por uma passagem coberta, chamada de  avenida.


Mercado dos Pinhões, na Praça Visconde de Pelotas 

e sua outra metade, o Mercado da Aerolândia, um patrimônio de 115 anos largado no lixo!

Em 1938 a estrutura foi desmontada. Um dos seus dois pavilhões foi transferido para a Praça Visconde de Pelotas, onde funciona o Mercado dos Pinhões. O outro pavilhão foi para a Praça Paula Pessoa (Praça São Sebastião),  onde permaneceu algum tempo quando foi novamente desmontado e levado para a Aerolândia, às margens da BR-116.




Quando foi instalado no bairro, os 50 boxes do Mercado da Aerolândia vendiam frutas, legumes e verduras, além de cortes de carne, peixes frescos e miudezas em geral. O local, que tinha seus boxes disputados pelos permissionários. Com a deterioração do local, primeiro os clientes, depois os comerciantes foram gradativamente abandonando o espaço.  Promessas de restauração foram muitas, todas rigorosamente descumpridas. 



Segundo informações de vizinhos, ainda restam dois boxes funcionando no mercado da Aerolândia, uma lanchonete e uma lojinha de variedades.

A grande providência adotada pelo poder público municipal foi formalizar o tombamento do  imóvel como patrimônio histórico em 2008. Mas, de lá para cá, o restauro necessário do local ainda não foi feito. Moradores ouvem falar de um projeto de transformá-lo num espaço cultural e de pequenos negócios, a exemplo do que já foi feito com o irmão gêmeo rico, o Mercado dos Pinhões. Mas não há prazos e nada de concreto. 





Não só a fachada e o interior do Mercado da Aerolândia estão destruídos e abandonados, mas até a área de entorno sofre os efeitos do abandono do equipamento. O alardeado tombamento municipal, só existe na pretensão dos ineptos gestores do patrimônio público, porque na realidade, o tombamento do mercado da Aerolândia é físico e sinônimo do verbo desabar: grande parte da estrutura do teto já caiu, e os escombros jazem na frente do imóvel. 



Pouco importa para os ignorantes e incultos administradores da Fortaleza bela se esse equipamento é parte de um conjunto importado da França ainda no século XIX, que não guarda similaridade com nenhum outro, exceto sua metade montada no Mercado dos  Pinhões; pouco importa se tem valor histórico-cultural, se a história de Fortaleza passa por ali.  Não é à toa que qualquer um se acha no direito de mandar demolir prédios em processo de tombamento, sem a mínima preocupação com sanções, a não ser uma irrisória pena pecuniária. É porque o (mau) exemplo vem de quem propõe a lei. Taí o Mercado da Aerolândia como testemunha.



fotos de julho/2012
por Rodrigo Paiva e Fátima Garcia

7 comentários:

Ednardo Nogueira disse...

Eu sempre passava por esse patrimônio na Aerolândia e adimirava sua estrutura antiga mas não conhecia sua história, então me perguntava por que uma estrutura daquelas não era reformada, quando soube, através do programa do Barros Alves e desse blog, qual a verdadeira história fiquei masi estupefado ainda!

Fátima Garcia disse...

ola Ednardo,
é uma vergonha que exista secretarias de patrimônio tanto do municipio quanto do estado, com gente ganhando polpudos salários para ficar "no faz de conta". O patrimônio publico de Fortaleza está ao Deus dará, não tem política para a área, não há interesse, nem competência para tanto. Taí o Mercado da Aerolândia, a Ponte Metálica, a Escola Jesus, Maria José, e muitos outros, virando pó, enquanto os gestores esquentam os trazeiros nos gabinetes com ar refrigerado. Bando de enganadores!

Fabricio Duarte disse...

Já existe o projeto de restauração, inclusive de um novo anexo.. mas ate agora realmente não há prazos pra isso sair do papel.. uma pena, tomara que com essa nova gestão essa parte da história da cidade venha ter o valor que merece.

Fátima Garcia disse...

tomara mesmo, Fabricio Duarte, esse equipamento merece mais atenção por parte dos governantes.

Jone Brasil disse...

Morei na Aerolândia até meus seis anos de idade (1970). Andei muito naquele mercado com meu pai, minha mãe e com meus amigos vizinhos cujo pai deles era permissionário do mercado, vendia carne em um box.

Fátima Garcia disse...

O mercado da Aerolândia está sendo recuperado, Jone Brasil. Quando estiver concluído vou postar umas fotos.
abs

Fátima Garcia disse...

O mercado da Aerolândia está sendo recuperado, Jone Brasil. Quando estiver concluído vou postar umas fotos.
abs