quinta-feira, 31 de maio de 2012

Pelas Ruas e Avenidas de Fortaleza – Parte II

Avenida Carapinima

A Avenida Carapinima é a continuação da Avenida Tristão Gonçalves. Antigamente os trilhos que saíam da estação da Estrada de Ferro Baturité para a zona sul do Estado, tinham curso pela atual Avenida Tristão Gonçalves que era conhecida como Trilho de Ferro.  A Tristão Gonçalves também foi chamada de Avenida 14 de março, da Lagoinha, e n° 8. Em 1917 os trilhos foram retirados daquela avenida.
O início da Avenida Carapinima fica no cruzamento com a Avenida Domingos Olímpio e prossegue até desaparecer ao lado do trilho.
Desde o início do ano 2000 a Avenida Carapinima vem sofrendo intervenções ao longo do percurso, em razão das obras do Metrofor. Além da estação do Metrofor ficam na avenida o Shopping Benfica e o CEJA José Neudson Braga.

Metrofor - estrada da Estação subterrânea do Benfica 

Metrofor - escadas de acesso à estação do Benfica

Há anos moradores e frequentadores do Benfica sofrem com os inconvenientes da construção do Metrofor, iniciada em janeiro de 1999. A Avenida Carapinima é uma das mais atingidas

Avenida Carapinima no cruzamento com a Rua Juvenal Galeno

Cruzamento Avenida Carapinima com Treze de Maio

Quem foi:
Feliciano José da Silva Carapinima, nasceu em Minas Gerais e Fixou residência no Ceará. Um dos mártires da chamada República do Equador, foi fuzilado em Fortaleza, no Passeio Público, no dia 28 de maio de 1825.  

Rua Nogueira Acioli

A Rua Nogueira Acioli surgiu aos poucos, juntamente com a necessidade de união entre a Avenida Santos Dumont com a praia, com o lado do sertão, mais precisamente com as Avenidas Monsenhor Tabosa e o bairro da Piedade.  Seu início, do lado do mar era bem definido, o que não acontecia com o restante da via, bastante conturbada e incerta. Mas a urbanização aos poucos foi juntando as partes e hoje a rua se estende da Rua Tito Rocha, (onde tem inicio, uma quadra antes da Avenida Monsenhor Tabosa), até a Rua Joaquim Torres, na Piedade.


Rua Nogueira Acioli

Mercado dos Pinhões

Casa do Estudante

Em 1888 seu nome era Rua Aldeota, que foi mudado em 1890 para rua n° 27, quando todas as ruas de Fortaleza mudaram de nome para números. Depois, em 1933, a rua recebeu nova denominação, a de Rua Barão de Aquiraz, em homenagem ao político Gonçalo Batista Vieira (1819-1896). Mais tarde passou a ter a atual denominação, que enfrentou grande resistência em razão do passado político e a da existência de rabelistas entre os vereadores de Fortaleza. Na Rua Nogueira Acioli fica o Mercado dos Pinhões, a Casa do Estudante, o lado do Hospital Cura D’ars, a lateral do Colégio Militar, a Praça da Bandeira e a Igreja do Cristo Rei. 

quem foi
Antônio Pinto Nogueira Acioli, nasceu no Icó, em 11.10.1840. Deputado geral e senador do Império e da República, governou o Ceará em três quadriênios. Deposto do governo em janeiro de 1912. 

Avenida Monsenhor Tabosa

A antiga Rua do seminário foi uma das primeiras vias do bairro da Prainha. Ficando na frente da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Prainha e ao lado do Seminário, nasceu pela localização destes. Em 1890, passou a ser a Rua n° 19-A, logo voltando  a denominação anterior. Depois recebeu o nome atual de Avenida Monsenhor Tabosa.
No local da igreja havia um outeiro, que era chamado de outeiro da Prainha. Ali foi erguida, à custa de doações, a igreja de N.S. da Conceição,  graças a Antônio Joaquim Batista, sacristão do Bispado. As obras foram iniciadas em 1839 e a primeira missa foi oficiada em 08 de dezembro de 1841.


Rua do Seminário em 1905 (arquivo Nirez)

Avenida Monsenhor Tabosa, anos 1960 (arquivo Nirez)

Já o Seminário foi instalado a 10 de dezembro de 1864. No local hoje ocupado pelo Seminário funcionou um pequeno cemitério, entre 1811 e 1847. Em 1896 a parte interna desabou, sendo logo reconstruída.
A Avenida Monsenhor Tabosa hoje é o prosseguimento da Avenida Castelo Branco, mas antigamente era o prosseguimento da Rua Franco Rabelo, o maior reduto de prostituição da cidade. Atualmente a Avenida Monsenhor Tabosa se inicia na Avenida Dom Manuel e termina na Avenida Barão de Studart.  É conhecida como um dos maiores centros comerciais de confecções e artesanato de todas as modalidades.


Avenida Monsenhor Tabosa, o paraíso das compras e do artesanato de Fortaleza

quem foi:
Antônio Tabosa Braga, nasceu em Itapipoca, no Ceará. Sacerdote e jornalista católico, foi Vigário Geral da Arquidiocese de Fortaleza


fotos: Fátima Garcia
fontes:
A História do Ceará passa por esta rua, de Rogaciano Leite Filho
Guia Turístico da Cidade, de 1961 - organizado pela Secretaria Municipal de Urbanismo 

  

4 comentários:

Juli_chan disse...

Parabéns pelo trabalho!
Adoro seu blog!
Beijos

Fátima Garcia disse...

Obrigada Juli_chan, volte sempre

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Todas essas ruas, são minhas velhas conhecidas.Na Carapinima, passo quase todos os dias,vi até "meu" ponto de
ônibus. Boas fotos!
Sempre bom, vir aqui, Fátima...

Fátima Garcia disse...

Oi Lúcia,
as fotos da carapinima ficaram limitadas ao início, você deve ter visto que na continuação da via as obras do metrofor ainda perduram. Tudo fora de lugar