quinta-feira, 8 de julho de 2010

As Alegres Pensões do Centro

Rua Conde D'Eu, década de 1940

Os cabarés, pensões altas ou alegres – como eram chamados nos idos dos anos 1940 e 50 – eram locais de diversão garantida e bastante freqüentados nas noites de Fortaleza. A maioria ficava no centro da cidade, nas ruas Major Facundo, Floriano Peixoto, Barão do Rio Branco e arredores, e funcionavam em antigos casarões, nos quais as pensões ocupavam o andar superior.
Esses antigos casarões eram sobrados em que durante o dia, funcionavam estabelecimentos comerciais no térreo, e à noite, o andar superior tornava-se ponto de encontro dos amantes da diversão, da boemia, da música e da companhia de belas mulheres.
Os vizinhos reclamavam da intensa algazarra que provinha destes estabelecimentos, e não eram raros os episódios de conflitos, brigas e confusões que estes ambientes produziam. Tampouco eram raros os casos de agressão as donas das pensões, pois muitas vezes elas tentavam apaziguar os conflitos existentes entre os fregueses e as meretrizes ou entre os próprios freqüentadores.
As proprietárias das pensões chamadas de “Madames” eram geralmente pessoas experientes que sabiam lidar com esses conflitos; eram responsáveis pela direção das casas de prostituição e agenciamento das “meninas”. A clientela era exclusivamente masculina e os cabarés acolhiam os todos os segmentos de classes sociais: autoridades, políticos, caixeiros, empregados do comércio, profissionais liberais, fazendeiros, militares, comerciantes, pedreiros, operários, etc.
Eram freqüentes os casos de romance entre clientes e prostitutas, alguns terminaram em casamento. Alguns desses estabelecimentos fizeram história e marcaram sua passagem pelo centro. Dentre outros destacaram-se:
A Pensão Paraibana, na Rua Conde D’Eu esquina com a Travessa Crato. No inicio de 1950 o estabelecimento pegou fogo e nunca mais reabriu.
Do lado oposto, funcionava uma das mais célebres pensões da Rua Conde d’Eu: a Pensão da Graça, de propriedade de duas irmãs que pertenciam à alta sociedade paraense, chamadas Graça e Alcina.
Na Rua São Paulo havia uma pensão muito elegante, com mulheres vindas do sul do país. Lá um famoso radialista se enamorou da “madame” e chegaram a contrair núpcias.
Na Rua General Bezerril, esquina com a Travessa Crato, havia a Pensão do famoso Zé Tatá, onde as meninas passavam por um rigoroso processo de seleção.
No inicio da Floriano Peixoto, funcionava a Pensão Cristal, ambiente de respeito e discrição, supervisionada pela proprietária, Madame Cristalina.
No quarteirão da Praça do Ferreira existiu a Pensão Estrela, uma das mais famosas, de propriedade de Madame Generosa. Era a mais central das pensões, no coração da cidade.
Na Barão do Rio Branco, antes da Rua Senador Alencar existia a Pensão New York e a Pensão Império, num grande sobrado da Madame Edwirgens, num imóvel de propriedade da imobiliária Manuel Cavalcante. Ao lado, outra pensão, a de Madame Julinha.
O que havia de mais atraente na Rua Barão do Rio Branco era o famoso Bar da Alegria – pensão da espanhola Nena – gerenciada por Beatriz. Muito famosa por promover bailes de aniversário de cada meretriz, quando todas apareciam de vestidos longos, com tecidos e cores iguais às festas de adolescentes, ao som de autênticas orquestras.
Ainda na Rua Barão do Rio Branco, a Pensão Ubirajara, de propriedade de Madame Dondon, que promovia festas todas as noites.
Algumas dessas pensões sobreviveram até fins da década de 60, inicio de 70, mas por essa época já estavam em franca decadência. Em 1971, veio a pá de cal: por pressão dos hotéis, foram fechadas pela Polícia.

Fontes:
ALMADA, Zenilo. O Bonde e outras Recordações. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2005.
VERLAINE, Paulo. Sexo e Diversão. Revista Fortaleza, Fascículo 9 p. 13. Fortaleza: O Povo, 2006.

3 comentários:

Lúcia Paiva disse...

Cada assunto, melhor que o outro!
Meus três irmãos falavam (e ainda falam,dois deles(1 já tá "pagando os pecados" lá em cima rs)dessas maravilhosas pensões alegres!!!
Muito interssante a matéria,Fatima!
É muito divertido parar aqui no teu blog!!!
Lúcia Paiva

Erico disse...

Nossa Fátima, eu não conhecia essas pensões! Gostaria que você postasse mais sobre elas!

Parabéns pelo blog.

Fátima Garcia disse...

Oi Érico,
existem outras postagens sobre o assunto, voce pode vê-las utilizando nos marcadores do blog a palavra chave "cabaré" e "cabaré da margô". Tem histórias bem interessantes.