segunda-feira, 28 de outubro de 2013

A Proteção Animal Voluntária em Fortaleza


Em quase todas as praças,  parques, estacionamentos e lugares de grandes  aglomerações como os campi universitários, observa-se um grande número de animais em situação de abandono,   principalmente cães e gatos. As poucas ações de iniciativa do poder público estão voltadas para eliminação não do problema, mas do animal.  Para tentar amenizar o sofrimento desses seres indefesos, surgiram os protetores. 

gatos abandonados em parque urbano de Fortaleza

Existem atualmente na cidade de Fortaleza, vários grupos e voluntários avulsos que se dedicam aos cuidados e proteção aos animais, especialmente animais abandonados nos diversos logradouros de nossa cidade. O trabalho realizado por essas pessoas tem uma grande importância social, uma vez que esses animais são resgatados, tratados, castrados e doados para novos lares. Esses grupos não contam com ajuda financeira governamental e sobrevivem, portanto, de doações de simpatizantes da causa. Não rara vezes usam recursos próprios no trato com rações e animais que necessitam de cuidados médicos. 

feira de adoção

Quase que semanalmente são realizadas feiras de adoção em vários pontos de Fortaleza, como shoppings, pet shops e praças, onde os que pretendem adotar um animal, podem escolher seu novo amigo. 
Para adotar, é preciso considerar alguns pontos que são essenciais no momento da decisão:  é preciso lembrar que tanto o cão como o gato viverão por cerca de 18 anos, e portanto, serão sua responsabilidade durante todo esse período. Também se deve pensar se existe disponibilidade financeira para assumir todos os gastos que serão necessários: vacinação, castração, banho e tosa, alimentação de qualidade e cuidados veterinários. 


E importante identificar qual espécie melhor se adapta ao seu estilo de vida e ao espaço disponível para o animal adotado. Questões como: Quem cuidará do animal em caso de viagem; Quem irá passear com o cão; Se haverá tempo disponível para dar amor e atenção ao novo filhote, deverão ser consideradas. 
Caso não tenha respostas objetivas sobre os pontos acima, é melhor aguardar um momento mais oportuno e adiar a adoção.

abrigo pra gatos na região Metropolitana de Fortaleza

A maioria das ONG's envolvidas não possuem abrigo, portanto, não podem atender a todos os pedidos de resgate e lar temporário que chegam até eles, pois atuam voluntariamente, assumindo gastos, e muitas vezes abrigando os animais em suas próprias residências. Realizam também trabalhos de educação da população, onde defendem a castração como sendo a solução para reduzir o número de animais abandonados e esclarecendo o que vem a ser a posse responsável. 
A proteção animal em Fortaleza vem ganhando força e destaque com o aumento do número de pessoas e grupos atuantes nessa causa, e todos ganham com isso: os animais, os novos donos, a sociedade, e os voluntários, que tem a oportunidade de ajudar uma vida.



Os principais grupos atuantes hoje em Fortaleza são: Apata Ceará, Upac, Grupo de Proteção Animal, Uipa, Gaba, Vakinha permanente, entre outros, além de voluntários independentes, não ligados a grupos. Caso deseje  adotar um novo amigo, procure um dos grupos e se informe sobre as datas das feiras de adoção e condições para adotar um animal. 

fotos de Raquel Garcia

9 comentários:

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Um belo trabalho! Valeu!

roberto disse...

quero um cachorrinho *.*

Alessandra Couto disse...

Legal pela informação e incentivo ao trabalho dos protetores!

:)

Vanessa Mayfair disse...

Post excelente! Parabéns!

Fátima Garcia disse...

obrigada Lúcia!

Fátima Garcia disse...

Olá Roberto,
no próximo dia 9, sábado, haverá uma feira de adoção no Shopp. Center Um na Avenida Santos Dumoont, em frente ao Shop. Del Passeo. Nas feiras sempre há cachorrinhos procurando donos. Se der, passe lá!
abs

Fátima Garcia disse...

Acho muito importante o trabalho dos protetores, Alessandra, quem sabe aparecem novos voluntários!
abs

Fátima Garcia disse...

Obrigada Vanessa Mayfair!

Anônimo disse...

Como faz pra ser voluntária?