quarta-feira, 3 de março de 2010

Imagens da Fortaleza Antiga

A Praça do Ferreira por volta dos anos 1920. Ainda existiam os trilhos por onde corriam os bondes. (foto: reprodução)


Seminário da Prainha. (foto: reprodução)

O Seminário foi fundado em 1864 com o nome de Seminário Episcopal do Ceará, por Dom Luis Antonio dos Santos, primeiro bispo de Fortaleza. Mais tarde passou a ser chamado de Seminário Provincial da Prainha. Em estilo neoclássico, ainda conserva expressivo acervo de azulejos portugueses do Século XIX. Fica na Avenida Monsenhor Tabosa.



Praça do Ferreira em foto de 1930. (reprodução)
O coreto que enfeitava a praça foi construído em 1920 pelo prefeito Godofredo Maciel e demolido em 1933 por Raimundo Girão, que mandou erguer na mesma época, a Coluna da Hora.

Antigo Mercado Central (foto reprodução)

A história do Mercado Central começa em 1809 com a autorização da Câmara Municipal para a construção, em madeira, do mercado que a funcionou inicialmente para o comércio de carne, fruta e verdura. Em 1814 as instalações foram demolidas e um novo prédio foi erguido com a denominação de "cozinha do povo".
Em 1931, o comércio de carne, fruta e verdura foi proibido dentro do prédio, e as instalações foram ocupadas por produtos utilitários e decorativos feitos artesanalmente.
Em 1975, após várias reformas, o mercado foi reinaugurado ocupando um espaço de 1.200 metros quadrados. O mercado então tinhas corredores estreitos, muitas lojas de confecção, e todo tipo de artesanto produzido no Ceará. O edifício, com acessos por três ruas distintas, Conde D’Eu, General Bezerril e Travessa Crato, tem características Art-Déco bastante despojadas e simples, próprias da época. É composto basicamente por um pavilhão com estrutura de pilares de concreto e coberta executadas com tesouras metálicas feitas com trilhos de bondes.


Passeio Público, década de 1920 (foto reprodução).
O Passeio Público é uma das mais antigas e belas praças de Fortaleza. O espaço foi construído em 1890 em estilo neoclássico e tem o nome oficial de Praça dos Mártires. Era dividido em três níveis, cuja frequência era definida pela classe social a que pertencia o individuo: ricos na Av. Caio Prado, classe média na Avenida Carapinima e Avenida Padre Mororó para a patuléia.
A foto retrata o trecho da Avenida Caio Prado. Nota-se a elegância dos vestidos das frequentadoras do local, chapéus e sombrinhas eram ítens obrigatórios na composição do figurino.


Fábrica de Tecidos São José (foto: IBGE)
de propriedade de Pedro Philomeno Gomes Ferreira, a fábrica de tecidos São José foi inaugurada em 1926, na Avenida Tomás Pompeu, 506, no bairro Jacarecanga. Durante muitos anos foi a maior fabricante de redes do Brasil, possuía um parque fabril que ocupava uma área de 26.000 metros quadrados, empregando mais de mil operários. Foi pioneira no Ceará na fabricação de produtos como toalhas de banho, fraldas e toalhas de mesa


Dunas do Mucuripe, onde hoje fica o bairro do Serviluz (foto: IBGE)


Rua Guilherme Rocha em 1915 (foto reprodução)

Nenhum comentário: