sexta-feira, 9 de abril de 2010

A Fortaleza dos anos 50

Apesar de ser uma cidade litorânea, Fortaleza nasceu e se desenvolveu de costas para o mar, pois tinha seus interesses voltados para o sertão. O banho de mar só surgiu no final da década de 1950, através dos clubes implantados na praia, como o Náutico, e o Ideal.
Volta da Jurema em 1939 (Arquivo NIREZ)
Praia do Meireles, nos anos 50 (foto: IBGE)
Casa de pescador na Praia do Meireles (foto: IBGE)
Praia do Meireles década de 1950 (foto: IBGE)
Até inicio da década de 1960, a orla marítima hoje chamada Praia do Meireles, era um local
com algumas casa de veraneio, muitas casas de pescadores e vários estabelecimentos que exploravam o lenocinio e a prostituição.
A construção da Avenida Beira Mar pelo prefeito Cordeiro Neto ainda nos anos 60, expulsa os pescadores para o alto das dunas e para a Rua Manuel Jesuíno na Varjota, e a zona de prostituição para a área do Farol do Mucuripe (Serviluz).
E a especulação imobiliária descobriu a Avenida Beira Mar. A partir dos anos 1970, o local transformou-se na principal zona de lazer e o metro quadrado mais caro da cidade.

Avenida Beira Mar
Não só o litoral foi tragado e transformado pela voracidade da especulação imobiliária.
Por longo tempo a Aldeota, antigo Outeiro, foi um bairro tipicamente residencial, com ruas largas, belos casarões e sobrados. Os terrenos eram enormes, davam para construir a casa, e sobrava espaço para o jardim, o quintal, o pomar.
O bairro foi formado a partir da Avenida Santos Dumont. Na década de 1920 o destaque era o Palácio do Plácido Carvalho, localizado no fim da linha do bonde. Já o Colégio Militar, a Igreja do Cristo Rei e o Cine-Teatro Santos Dumont eram os pontos de referência dos anos 1930. Mas passou a representar o bairro predileto da elite a partir da década de 1950.
Casa na Avenida Santos Dumont em foto de 1957. Não havia preocupação com grades ou muros altos. (foto: IBGE)

Avenida Santos Dumont ano de 1957 (foto: IBGE)
casa na Avenida Santos Dumont (foto IBGE)
Casa na Avenida Santos Dumont ano de 1957 (foto: IBGE)
Casa na Avenida Santos Dumont (foto IBGE)
Todos esses imóveis foram demolidos e deram lugar a shopping centers, edificios de apartamentos e de escritórios e diversos estabelecimentos comerciais.
A mudança ocorreu nos anos 70, quando vários fatores provocaram grandes alterações no bairro: o governo estadual se transferiu para o Palácio da Abolição, e trouxe as repartições públicas; e a mudança na legislação urbana  que permitiu construções de outros usos e tamanhos: lojas, clínicas e edifícios desfiguram as casas

4 comentários:

ARTE & MARAVILHAS disse...

Seu Blog está Belissimo, senti tanta saudade pois esta Fortaleza era Calma, as pessoas não viviam com medo da violência.

Fátima Garcia disse...

obrigada pela visita e pelo comentário, volte sempre

E.A. disse...

a casa da terceira foto ainda existe, fica em frente a casa do frango , na realidade essa casa fica na Av. Barão de Studart, a sua vizinha casa, uma casa fantástica, foi derrubada depois da eleição, foi uma grande perda, pois o seu conjuncto arquitetônico era uma grande prova da arquitetura da época.

Fátima Garcia disse...

Olá E.A.
bom saber que restou alguma coisa, passando lá vou tentar identificar.
abraço