segunda-feira, 13 de abril de 2015

Fortaleza, 289 anos! Como era há alguns anos atrás?

Nossa querida cidade de Fortaleza começou há muitos anos! E, antes de ser essa transição de muitos carros para bicicletas, existiam ruas bucólicas, calmaria e muitas belezas com influencias europeias! Hoje, nós comemoramos os 289 anos de Fortaleza, mas vamos falar de como ela começou e era anos atrás! Vamos lá matar a saudade?

Quem diria que a Praça dos Leões, a Praça General Tibúrcio, foi um dos principais pontos de encontro da cidade? Sim, tudo começou por ali. Onde hoje se vê muito movimento com o comércio, venda de livros e alguns restaurantes ao redor, antes era um lugar simbólico. Para tanto, as estátuas dos leões, feitas de bronze, vieram diretamente da França - isso mesmo – tudo para compor a ambientação local. As luzes também tinham estilo francês, que enfeitavam o jardim à noite e eram alimentas por combustores a gás.

O centro foi o início da cidade, mas anos mais tarde, a Aldeota se tornaria um bairro cheio de negócios. Antes, porém, ela parecia mais com a casa dos nossos avós, aquela de campo que só tem árvores ao redor. É mesmo difícil de imaginar a nossa movimentada Av. Santos Dumont sendo, antes, assim:



A rua de quatro vias hoje era apenas uma estrada, com casas pequenas e árvores ao redor. Ela era conhecida como a Rua do Colégio, por volta dos anos 40, e foi nela que os antigos moradores dos bairros Benfica e Jacarecanga iniciaram a população da Aldeota. Por serem detentores de mais recursos, começaram a surgir mansões e edifícios. Rapidamente, a situação da rua mudou, tornando-se um ponto principal e referência da cidade.

Em 1950, surgiu o início do comércio na Aldeota, próximo à Avenida Desembargador Moreira, com oito casas construídas pelo arquiteto Mainha. A Praça Portugal ainda nem existia! Mas as casinhas, pouco a pouco, deram lugar ao comércio, começando pela loja Água de Cheiro, que acabou gerando muito fluxo pelo lugar. Já no ano de 1986, mais lojas foram chegando à capital, vindas do Rio de Janeiro de São Paulo. E, além das lojas, o ponto comercial se tornou uma atração turística, com shows humorísticos de Tom Cavalcante e restaurantes populares.

Em parte desse espaço, foi lançado, em 1998, o Jardins Open Mall – um shopping com proposta de preservação da natureza e de um ambiente agradável para os clientes. O projeto de paisagismo incluiu fontes, riachos e um palco para a continuação dos momentos de lazer, além de um mix de lojas e restaurantes cercados pela natureza.



A cada dia, Fortaleza se renova, passando por fases diversas. Viemos de um ambiente bem a cara do interior, com tradições francesas e portuguesas. Chegamos ao o que é hoje, com movimento comercial crescente e muitos prédios ao redor de praças e grandes avenidas. E caminhamos para um lugar mais amigo do meio ambiente, com bicicletários e espaços urbanos que respeitam a natureza. Por todo esse caminho tão bonito, parabenizamos a cidade pelos seus 289 anos! Parabéns, Fortaleza!


Este post foi feito em parceria com o blog do Jardins Open Mall! Acessem as redes sociais deles: @jardinsopenmall e fb.com/jardinsopenmall e nos acompanhe também: fb.com/fortalezaemfotos.

Um comentário:

lobão disse...

Nasci no Sítio Lidiane, no quadrilátero entre as ruas Santos Dumont; Leite Albuquerque; Tibúrcio Cavalcante e Joaquim Nabuco, que fora do meu avô, na época já diminuído pela metade. Até vacaria tinha lá perto. É isso, o tempo passa...