terça-feira, 1 de setembro de 2015

A Mudanças nos Nomes de Bairros

Não serão admitidas   modificações   na   denominação   já   tradicional   de logradouros ou bairros
Lei Orgânica do Município de Fortaleza  – Parágrafo 3°

Uma publicação da Prefeitura de Fortaleza de 1961 registra a existência de alguns bairros que sumiram, ou foram englobados por outros, ou mudaram de nome. Bairros como Estância, Antônio Diogo, Marupiara, Cachoeirinha, Campo do Pio, dentre outros.
O Bairro Estância era limitado ao Norte pela Rua Padre Valdevino e Rua Beni Carvalho; a Leste pela Via Férrea Parangaba – Mucuripe; ao Sul pelas Avenidas Pontes Vieira e Isaac Amaral; e a Oeste pela Avenida Barão de Studart. Assim, conclui-se que o antigo bairro Estância corresponde ao atual Dionísio Torres.

Trecho do bairro Estância ou Estância Castelo como também era conhecido, por volta dos anos 50. Esse espaço hoje corresponde à Praça da Imprensa, localizada na confluência das Avenidas Antônio Sales e Desembargador Moreira. (foto arquivo Nirez)

O bairro Antônio Diogo ficava pras bandas da Praia do Futuro, entre a via férrea Parangaba-Mucuripe, que o dividia do bairro Vicente Pinzon, a orla oceânica, o Rio Cocó e a linha divisória das Dunas. Essa delimitação de área contempla o atual bairro Praia do Futuro II.

O Marupiara estava situado no Distrito de Parangaba e mudou de denominação pela lei n° Lei nº 3.480, de 04/12/1967. Atualmente é denominado Demócrito Rocha.
O Cachoeirinha estava localizado no Distrito de Antônio Bezerra, que em 1961 contemplava o próprio bairro Antônio Bezerra, Pici e Cachoeirinha. Hoje se chama Padre Andrade.

O Campo do Pio foi engolido pela Parquelândia, que por sua vez era chamado de Coqueirinho. O nome Parquelândia foi oficializado em 1988, através da Lei n° 6.363.  
O Carlito Pamplona, localizado na jurisdição da SER I, até 1948 era denominado de Brasil Oiticica, numa alusão a fábrica de beneficiamento de oleaginosas que se instalou na Avenida Francisco Sá em 1934. A Brasil Oiticica fechou e o bairro virou Carlito Pamplona, nome de um dos diretores da fábrica.

O atual Bairro Couto Fernandes já foi Quilômetro 8; O bairro de Fátima já se chamou Redenção e 13 de Maio; o Henrique Jorge, até 1963 se chamava Casa Popular; O Rodolfo Teófilo já foi chamado de Porangabussu; o Pantanal, área localizada no bairro José Walter, foi transformada no bairro Ayrton Sena, através da Lei nº 8.699, de 21/02/2003, criado oficialmente em 05 de março de 2003. 

Outros bairros ainda constam nos mapas de bairros da Prefeitura de Fortaleza e do IBGE, mas na prática, é bem difícil identificar suas áreas. Um lugar que retrata bem essa situação é o Alto da Balança. O bairro ganhou esse nome devido a existência de uma Balança da Secretaria da Fazenda Municipal para pesar  mercadorias trazidas de caminhão, e que entravam na cidade pela rodovia que é hoje a BR-116, que margeia o Bairro no seu lado Oeste. 


A chegada da Base Aérea determinou a mudança no nome do bairro, que passou se chamar Aerolândia (foto Fortaleza em Fotos)

De acordo com a demarcação dos bairros feita pelo IBGE, o Alto da Balança está limitado ao norte pela via férrea Parangaba-Mucuripe, a Leste pelos limites do Distrito de Messejana, ao Sul pela Rua Joaquim Barroso e a Oeste pelo muro da Base Aérea de Fortaleza. O Bairro da Aerolândia seria contíguo ao Alto da Balança, começando na confluência do muro da Base Aérea, com o prolongamento da Rua Tenente Wilson, segue por esse prolongamento, depois pela rua Tenente Wilson  e depois em linha reta, no sentido leste, até encontrar a margem oeste do Rio Cocó; segue pela margem no sentido sul até a BR-116; segue a rodovia no sentido norte, até a Rua Joaquim Barroso. Segue por essa rua no sentido Oeste, até encontrar o muro da Base Aérea e segue até encontrar o ponto inicial.

O equipamento mais famoso do bairro Aerolândia/Alto da Balança é o velho mercado de ferro que atualmente passa por processo de restauração. (foto Fortaleza em Fotos)

Mas o Alto da Balança foi praticamente absorvido pela Aerolândia, que surgiu com a chegada da Base Aérea, e passou a ser chamado de “Campo de Aviação”, no começo da década de 30. No início dos anos 60, moradores e militares da Base Aérea mudaram o nome do local para Aerolândia, e batizaram ruas e avenidas com o nome de militares. Hoje toda aquela região é conhecida por Aerolândia. 

Outro exemplo típico é o bairro Floresta, situado na zona Oeste de Fortaleza. O nome, de origem muito antiga, remonta aos tempos em que aqui chegaram os primeiros colonizadores da Capitania do Siará, os espanhóis Vicente Pinzón e Diego de Lepe. O local do atual bairro era uma floresta tropical, que ficava às margens do Rio Ceará, por onde entraram as caravelas dos navegadores. 

O Floresta está em um aglomerado de bairros que não possuem os limites bem definidos. Pelo menos para a população. Segundo reportagem de um jornal, ao abordar os moradores, perguntando como se fazia para chegar ao bairro, o repórter era direcionado a locais que já estavam fora de seus limites. Normalmente, já faziam parte do Álvaro Weyne. 

“Depois do trilho é Álvaro Weyne. Pra cá, é Floresta”, dizem os moradores mais antigos. “Floresta é um nome antigo, de origem. Não é mais oficial. Há mais de 40 anos que se chama Álvaro Weyne. Alguns, que não conhecem, é que ainda chamam de Floresta”, explica o consultor de vendas Paulo Silva...


Até a velha estação da RVC  teve seu nome mudado (foto arquivo Nirez)

A avaliação do consultor de vendas não está tão correta. O bairro Floresta é reconhecido sim, oficialmente, pela Prefeitura de Fortaleza, e sua população está registrada no Censo 2010, do IBGE.  E tem os limites definidos pelo IBGE: começa na confluência da Rua Tulipa com a Avenida Francisco Sá, segue no sentido leste até a Rua Francisco Calaça, segue no sentido sul até a Rua Teodomiro de Castro, segue no sentido leste até encontrar a Rua Dona Mendinha, segue no sentido sul até encontrar a Rua Rocha Pombo, segue no sentido leste até a via férrea Fortaleza-Sobral, segue no sentido sul até a Rua Rio Tocantins, segue no sentido norte até a Rua Conselheiro Lafaiete, segue no sentido leste até a Rua Alberto Oliveira, segue no sentido norte até a Rua Alberto Frota, segue no sentido Oeste até a Rua Tulipa, segue no sentido norte até encontrar o ponto inicial. O Correio também indica o Código de Endereçamento Postal – CEP, de ruas do bairro Floresta. 


Área do bairro Floresta segundo os limites estabelecidos pelo IBGE
(ilustração Fortaleza em Fotos)  

Morador da região desde quando nasceu, Paulo conhece bem a história do lugar. Na memória da infância, estão as moradias simples, feitas de taipas. “Aqui é uma comunidade que foi, praticamente, crescendo a partir de posses (ocupações de terrenos). O pessoal começou a chegar na parte que se chama Reino Encantado”, lembra. Porém, esse núcleo original, hoje, faz parte do bairro Álvaro Weyne. Ele lembra ainda da existência de um poço ao lado da antiga estação que também marcou a história do bairro, pois era onde a população tirava água para consumo próprio ou para vender.

Outras modificações em nomes de bairros estão a caminho: a Câmara Municipal de Fortaleza aprovou  em 2014, a realização de duas audiências públicas para discutir projetos que propõem alterar o nome dos bairros Presidente Kennedy e Moura Brasil. Os requerimentos são de autoria do vereador Robert Burns (PTC). 

De acordo com a proposta do vereador, o bairro Presidente Kennedy, situado na área da Secretaria Regional I, passaria a se chamar Juraci Vieira de Magalhães, em homenagem ao ex-prefeito de Fortaleza, gestor da cidade de 1990 a 1993 e de 1997 a 2004. A justificativa para a mudança, segundo descrito no requerimento 1907/2014, seria, além de homenagear Juraci Magalhães, “apagar da memória do povo personalidades veneradas pelo regime militar, e que nada fizeram pelo engrandecimento daquela comunidade, e nem ao Ceará ou do Brasil”.


Praça do Muriçoca, a única do bairro Moura Brasil, poderá mudar de nome, se o projeto do vereador vier a ser aprovado pela Câmara (foto O Povo)

Já o bairro Moura Brasil ganharia a denominação de Dragão do Mar, segundo justificativa no requerimento 1908/2014, em homenagem a Francisco José do Nascimento – o Chico da Matilde. O vereador ressalta que o bairro Moura Brasil, também chamado de "Arraial Moura Brasil" e Oitão Preto", abrigou a chamada "cinza", o tradicional baixo meretrício da capital cearense, até bem pouco tempo, e por causa da marginalização, “até hoje o seu nome lembra violência, drogas e prostituição”. A proposta do parlamentar seria para “incentivar a autoestima da população e trabalhar para apagar da memória cearense fatos que não foram construídos pelo povo, mas sim pelos governos antidemocráticos.

Lembrando que o Bairro Presidente Kennedy homenageia o falecido Presidente norte-americano John Kennedy, assassinado em 1963, em Dallas, Texas, Estados Unidos.
Já o nome do bairro Moura Brasil é uma homenagem a José Cardoso de Moura Brasil (1846-1929), renomado médico oftalmologista cearense, nascido em Caixa-só, atual Iracema. Em 1872, após concluir o doutorado na Bahia, viajou para a Europa, a fim de acompanhar os principais cursos da especialidade a que se dedicara desde a vida acadêmica. Em 1875, de retorno ao Brasil, permaneceu no Ceará de agosto até dezembro daquele ano e, neste curto período, atendeu numerosos pacientes, pondo em prática os conhecimentos adquiridos na Europa. Em Fortaleza realizou 51 operações, a maioria na Santa Casa de Misericórdia.


Fontes de pesquisa:
Guia Turístico da Cidade. Prefeitura Municipal de Fortaleza – administração do Gen. Manuel Cordeiro Neto – 1961  
IBGE – censo 2010
Prefeitura de Fortaleza
Wikipédia
Jornal O Povo
Jornal Diário do Nordeste

2 comentários:

Félix José Ximenes Ávila disse...

A iniciativa deve ser aplaudida e apoiada por todos os habitantes dessa cidade. Não temos o costume de preservar os nomes originais. Muda-se os nomes para homenagear os donos das terras,
figuras e datas de triste memória, dilapidando, aos poucos, as tradições de nossa terra como já acontece com os marcos arqitetonicos. Torçamos para que dê certo. Félix Ximenes

Anônimo disse...

E o Autran Nunes já se chamou Alto do Bode?