terça-feira, 25 de novembro de 2008

Por que parou?

Em 2001 havia 698.64 veículos em todo estado do Ceará. Hoje são 1.122.623, sendo 553.142 só em Fortaleza e 669.481 nos demais municípios cearenses.
O pior é que, enquanto a frota de veículos aumenta dia a dia, a cidade permanece quase a mesma, com ruas estreitas, sinalização deficiente, sem planejamento de tráfego (se existe, ninguém sabe, ninguém viu).
Como não existe espaço para estacionar tanto carro, a solução foi utilizar os espaços urbanos que pertencem, por direito, a quem não anda de carro: as calçadas.
Assim grandes avenidas como a Gomes de Matos, a Expedicionários e a Bezerra de Menezes, que contam com intenso tráfego de veículos, têm suas calçadas totalmente ocupadas por veículos, enquanto a população, sem ter a quem reclamar, abandonada e esquecida pelo poder público, divide as pistas com ônibus, motos e automóveis, correndo sérios riscos de atropelamentos.
Existe uma autarquia cuja função é disciplinar o trânsito, orientar, fiscalizar e multar os motoristas infratores, mas estranhamente, jamais adotou qualquer providência para coibir o abuso, o que não impede que seus representantes estejam todos os dias concedendo entrevistas à emissoras de televisão, alardeando os bons serviços que prestam ao trânsito da cidade.

2 comentários:

Anônimo disse...

já escapei não sei quantas vezes de ser atropelado na gomes de matos. Acho aquilo um absurdo, uma coisa fora de propósito, mas ninguém toma uma providência. No dia que acontecer um desastre com alguém importante ou com familiares deles,aí sim,acaba a farra dos carros em cima das calçadas.

Maria das Graças disse...

Abuso,falta consciência e educação ao nosso povo.Só faltam levar os benditos carros para dormir com eles.Ocupam as calçadas e os pedestres que se arrisquem no asfalto das avenidas.Alô autoridades!Tem alguém aí?euniresc