terça-feira, 14 de outubro de 2008

Fortaleza e os Transportes Coletivos II

A propaganda oficial vive se gabando: o preço da passagem nos transportes coletivos de Fortaleza não sofre reajuste desde 2004. É verdade. Nos dois primeiros anos, a prefeitura venceu uma queda de braço com os empresários do setor. Em 2006, para manter a tarifa, reduziu a alíquota do ISS (Imposto sobre Serviços) das empresas de transportes coletivos de 4% para 2%. Com isso perdeu em arrecadação e repassou a vantagem aos passageiros. Ponto para a prefeita.
O que a autoridade municipal não revela é que Fortaleza, conta hoje com uma oferta de ônibus menor do que em 2004. A população da cidade passou de 2.332.657 habitantes para uma frota de 1.799 ônibus em 2004, para 2.431.415 habitantes em 2007 enquanto a frota foi reduzida para 1661 veículos.
A página da ETUFOR registra que a frota de ônibus em 2008 é de 1630 veículos. Ou seja,está encolhendo mesmo.
Segundo técnicos da empresa, em declaração ao jornal Diário do Nordeste, a frota é menor porque a demanda passou a ser atendida também por transportes alternativos, além de que aumentaram os deslocamentos em veículos particulares e motos.
foto: jangadeiro online
O transporte alternativo é feito por “vans” ou micro ônibus, mediante o cumprimento de algumas regras dentre as quais se incluem a lotação: Devem conduzir no mínimo 8 e no máximo 16 passageiros sentados (quem quiser ver quantos passageiros eles transportam em uma única viagem, basta utilizar uma das que cumpram determinados percursos, como por exemplo a 55).
Atualmente existem 320 “vans” em circulação.
O sistema de transportes de Fortaleza transporta cerca de 900 mil passageiros por dia, segundo dados da ETUFOR, e o congelamento da tarifa aumentou o número de pessoas com acesso ao sistema.
A redução da frota não é boa estratégia. Em todo planeta governos buscam alternativas para redução do número de veículos particulares nos centros urbanos em dias úteis, em razão dos engarrafamentos, e como forma de atenuar os efeitos do aquecimento global, uma vez que os veículos automotores são os principais vilões da emissão de gases poluentes nas grandes cidades.
Também não é boa estratégia a concessão de mais espaço para o transporte feito por “vans”, geralmente associadas à ilegalidade, à insegurança, (posto que costumam trafegar com excesso de passageiros e de velocidade) ao desrespeito às leis de trânsito e aos outros motoristas, e não sofrerem, pelo menos aparentemente, nenhuma fiscalização por parte da AMC , da ETUFOR, ou por quem de direito.
A principal alternativa desses países tem sido a de aumentar a oferta de transportes coletivos para que menos pessoas utilizem seus veículos particulares em deslocamentos para logradouros cobertos pelo transporte coletivo, ou seguir o exemplo da prefeitura de Londres que instituiu a cobrança de pedágios para quem for ao centro da cidade em carro próprio.

5 comentários:

julia disse...

essas viagens nas vans são muito ruins mesmo, só andam superlotadas. Os ônibus também não ficam atrás, é preciso melhorar o transporte, não basta ter preço tem que ter qualidade também

Anônimo disse...

Eu não uso transporte público, mas realmente é um pesadelo pra quem precisa! É um descaso total do governo para com a população.
E a Luizianne ainda acha que faz muito colocando a passagem custando 50 centavos uma vez por mes! Pela qualidade dos onibus e terminais, deveria ser gratuito!

revoltada disse...

o que mais me revolta quando tenho de pegar um ônibus é aquela confusão nos terminais. A quem interessa aquela bagunça?

Anônimo disse...

Sorte de quem não precisa pegar ônibus aqui.Já fiquei +-45 minutos esperando um ônibus campus do pici/unifor. Quando apareceu um, parecia uma lata de sardinha. O resultado é que cheguei atrasada na facu,perdi a prova e ainda ouvi lorota do professor. Ninguém merece!

Anônimo disse...

O uso dos microônibus tem várias leituras (sempre desfavoráveis para nós, usuários)
- O valor da passagem não aumentou mas o tamanho do ônibus diminuiu e a quantidade de passageiros é a mesma = HAJA MAIS APERTO.
- O motorista acumula a função do cobrador.Recebe passagens e passa troco com o veículo parado = MAIS ATRASO PARA O USUÁRIO, MAIS TRANSITO CAÓTICO.
- O motorista faz a mesma coisa mas com o veículo em movimento = VALHA-ME DEUS!!!
- De tão ocupado, o motorista "esquece" os passageiros que deram sinal para descer do ônibus, deixando-os no mínimo uma parada depois..= "TÁ MOUCO, MOTORISTA?"