sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Os Clubes de Subúrbios

A elite e a classe média dividiam espaço no recesso dos clubes elegantes da Fortaleza durante  décadas, até por volta dos anos 60/70:  Ideal, Náutico, Iracema, Diários, Maguary, Comercial e Massapeense. Os grandes eventos e os encontros de amigos aconteciam no ambiente distinto e seguro das maiores agremiações.

Ideal Clube 

Fortaleza, porém, não era feita apenas do mundo elegante. Outros segmentos tinham seu espaço próprio e participavam ativamente de animadas reuniões festivas, especialmente nos finais de semana. Em muitos bairros existiam clubes, a maioria pequenos, mas não menos movimentados. Alguns típicos de classe média, outros, de classes menos favorecidas, mas, todos vivendo uma fase de grande efervescência. Eram os chamados "suburbanos", clubes localizados nos bairros, fora do circuito dos clubes elegantes (Aldeota, Meireles, Praia de Iracema).  

O Clube de Regatas, localizado na Barra do Ceará, imediações da foz do Rio Ceará, era o maior deles. Iniciou suas atividades nos anos 60. No lançamento, os proprietários fizeram uma ação de marketing para a venda de ações, com a planta do clube e seus diversos atrativos. Assim, o Regatas tinha associados na Capital e no Interior.

Projetado pelo arquiteto Ivan Bezerra, em modernas instalações, contava com piscina, quadra de tênis, garagem para embarcações, e salão nobre com um imenso lustre de cristal comprado em São Paulo. O Clube de Regatas não foi pensado nem se destinava ao lazer das pessoas mais humildes da região que já começava a se proletarizar. Em sua origem era frequentado por pessoas que vinham de outras regiões. Os sócios do clube que moravam em áreas mais distantes, enfrentavam areal, piçarra e areia frouxa para chegar ao Regatas. 

Clube de Regatas Barra do Ceará
O Clube de Regatas foi palco para shows de artistas de renome nacional, bailes de formatura e festas de confraternização de empresas, empresários ou políticos. Outro atrativo interessante do Regatas eram os bingos com prêmios que iam de automóveis a passagens aéreas passando por eletrodomésticos. O Regatas entrou em declínio já no final da década de 60, quando os clubes sociais começaram a competir com outras formas de lazer.

Os militares de patentes mais baixas, suboficiais e sargentos, frequentavam suas próprias agremiações: o Clube General Sampaio congregava o pessoal do exército. Tinha sede no Benfica, com bar e restaurante organizados, sempre com boa freqüência. Encerrou as atividades em 1964; Os sargentos da Aeronáutica tinham seu ambiente especial no Ícaro, na Avenida Visconde do Rio Branco, bairro de Joaquim Távora, com festas de grande prestígio aos sábados e domingos.

No mesmo bairro Joaquim Távora, bem próximo ao Ícaro, ficava o Suerdieck, que viveu uma fase de grande esplendor, promovendo bailes monumentais, inclusive patrocinando concursos para a escolha da "Miss Suburbana", uma espécie de miss Ceará alternativa.

Ainda na Visconde do Rio Branco já próximo ao centro, estava o 24 de Maio, que aliava sua condição de time de futebol de muita força na Segunda Divisão, a uma intensa atividade social em sua sede, onde às festas costumavam comparecer centenas de jovens.

Clube Santa Cruz na Rua Padre Mororó (google)

Havia o Santa Cruz, que teve como presidente Francisco Dutra, um dos primeiros sócios do Ferroviário e antigo árbitro de futebol da Primeira Divisão do futebol cearense. Apesar da proximidade com o Cemitério São João Batista, promovia grandes bailes de carnaval e festas nos finais de semana, com muitos frequentadores.

Não menos animados eram os bailes do Jabaquara, onde a presença mais notada era a de Valfrido Coelho, o “Pimpolho” ex-jogador de futebol, folião de primeira hora, e um dos criadores do famoso Cordão das Coca-Cola. O Jabaquara teve seus tempos áureos quando mantinha sede na Avenida Carapinima, no Benfica.

Clube Secai, no Pirambu - imagem: Antônio Viana

Também no Benfica ficava o Gentilândia Futebol Clube, onde a freqüência, notadamente a masculina era predominantemente de alunos da Universidade, daí o apelido de dado pela imprensa de time dos acadêmicos.

Localizado no Bairro Nossa Senhora das Graças (grande Pirambu), o SECAI foi fundado em 14 de setembro de 1960 e destacou-se pela atuação na área de esportes, lazer, qualificação profissional, junto aos jovens moradores do bairro. 

Sede do Clube Vila União - (Fortaleza em Fotos)

Na Fortaleza provinciana também havia festas animadas nos salões do Terra e Mar, no Mucuripe, do Rio Branco, no Antônio Bezerra, do Trilho, na Volta da Jurema, no Romeu Martins no Montese, no Vila União, no bairro homônimo, no Tiro e Linha, no Mênfis Club, no Clube Recreativo Aerolândia, no Tiradentes, e em inúmeros outros pequenos e médios clubes suburbanos, que agitavam fins de semana e períodos carnavalescos, hoje, alguns em plena atividade e outros, há muito desaparecidos. 


Fontes:
Sessão das Quatro, cenas e atores de um tempo mais feliz
Blanchard Girão
Do Clube de Regatas Barra do Ceará ao Cuca Che Guevara
David Aragon disponível em 
 <http://www.ujsceara.org.br/2009/08/do-clube-de-regatas-barra-do-ceara-ao.html>
 


Nenhum comentário: